1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Sua Opinião

G8 E PAÍSES EMERGENTES

O tema central dos comentários desta semana continua sendo a cúpula do G8 e suas implicações. Mas temos também opiniões sobre o conflito Russia e Ocidente, corrupção, cultura e massificação. Vale a pena conferir!

default

Sobre a matéria "Países emergentes..." , penso que está mais do que na hora de os países ricos compartilharem o poder com outros países! A geopolítica moderna implica em novas esferas de poder com a inclusão de novos países-membros, como o Brasil. Cada vez mais esses países, ditos emergentes, crescem e cada vez mais sua importância deve ser relevada para equacionarmos a balança do poder. Caso contrário, ONU, G8 e OMC perderão respaldo pois não estarão tendo representatividade correta e balanceada, ficando esses organismos relegados ao esquecimento e ao unilaterarismo ideólogico.
Cristiano Silveiro

Os ditos países emergentes têm, cada vez mais, prestígio e influência no âmbito mundial, logo, creio que deveriam participar no grupo do G-8.
Antonio Carlos Malaguti


Sem os países emergentes os ditos "países ricos" não seriam absolutamente nada, pois sua riqueza provém da exploração desavergonhada dos menos favorecidos. Por isso é mais do que certo que participem de todas as decisões globais.
Doralice Lima

Parei e pensei. Senti pena do continente latino-americano. Tantas belezas naturais, diversidade cultural, berço de gerações de etinas indigenas nos Andes e no México, tantas riquezas naturais, além da bondade e hospitalidade de seus povos. Somos sim esquecidos, tanto pelos europeus como pelos americanos. Só lembram da América Latina para tirar proveito e ficarem mais ricos, enquanto nós assistimos, tristemente. Os nossos governandes são os grandes culpados, desde a época da colonização.

Hoje continuamos colonizados, as classes ricas, mais ricas, e as classes pobres viram miseráveis. Má distribuição das riquezas, e os interesses estrangeiros que deixam pouco nos países onde exploram minerais, mão-de-obra, tecnologia e recursos naturais. Sem memória e sem esperança, eis o que acontece na esquecida América Latina.
Marieme Vasconcelos

É lamentável que o governo americano continue se intrometendo na polílica e na economia de muitos países, mas que ao mesmo tempo não apresente exemplos de responsabilidade social e ambiental. Hoje, e ainda mais no futuro, todos nós vamos sofrer com a prepotência e crueldade dos EUA perante o resto do mundo. Eles se esquecem que, a médio e longo prazo, também sofrerão as conseqüências da irresponsabilidade global por eles praticada.
Junior

MANIFESTAÇÕES CONTRA O G8

Eu acho que os protestos podem mudar o rumo da política, sim. Aliás, isso já se faz sentir. Se hoje os poderosos tentam tapar os nossos olhos com areia, convidando líderes de países subdesenvolvidos para participarem nos seus insanos debates, isso se deve aos protestos. Se há uma crescente preocupação com o ambiente, isso se deve aos protestos.

Todas as tomadas de posições relativamente benéficas que os poderosos tomam não se devem a altruísmo. Eles odeiam fazer isso, mas não há outra solução frente à pressão das ruas. Ainda mais quando agora sabem que nós, pobres, podemos lhes causar enormes danos materiais nas ruas. [...] Eu sou pacifista, mas para mim pacifismo é não fechar os olhos perante a violência principalmente a violência do capital. [...]
Juliano

PRODUÇÃO E MERCADO

A produção é a lei máxima, que sustenta a harmonia entre os mercados, que favorece trabalho e capacidade de sobrevivência ao ser humano, que permite preservar o meio ambiente e o desenvolvimento sustentável, entre outros fatores relevantes. Cabe a cada país e povo desenvolver sua produção conforme a sua vocação natural, dimensionando-a conforme a capacidade de mão-de-obra, permitindo renda a todos e eqüidade social. E, neste contexto de produção, exporte o excedente e importe o necessário. E assim, cada nação produzindo com equilíbrio e harmonia, pensando em ser socialmente justa, a recompensa virá para todos. [...]

Benjamin Protásio Schwengber

CONFLITO RÚSSIA-OCIDENTE

Do meu ponto de vista, a guerra fria ainda não acabou, continua fria e talvez congelada pelos desentendimentos crescentes entre o mundo. Entretanto, o desenvolvimento aparente da economia russa tornou-a apta a iniciar uma política de ameaças contra o Ocidente e essas ameaças devem ser consideradas, visto que a Rússia atualmente dispõe de capacidade para prejudicar a economia dos países europeus cortando apenas um dia seu fornecimento de petróleo. Portanto, concluo que o Ocidente deve considerar as ameaças russas como potenciais e buscar a via diplomática através de um entendimento entre as partes.
Gilberto Rodrigues Teixeira

POLÍTICOS E CORRUPÇÃO
Infelizmente de nada adiantou o Brasil ter assinado o documento da ONU que penaliza parlamentares corruptos. No Brasil, a maioria pratica a corrupção despudoradamente. Os cidadãos honestos nada podem fazer, a não ser sentirem-se envergonhados frente a outras sociedades, de países menos corruptos. Deveria haver algum país onde os honestos pudessem viver. Ficaria muito feliz se os impostos pagos fossem aplicados em benefício de todos. Será isso possível algum dia?
Elvira Carvajal

CULTURA E MASSIFICAÇÃO

A massificação cultural é muito perigosa. A utilização da língua inglesa como padrão não é o mais recomendável. O ideal é certamente a valorização da diversidade cultural, não somente na música como também nos outros segmentos culturais.
Ariovaldo L. Lucas





Leia mais