1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

G-8 exige diálogo entre Índia e Paquistão

Os sete países mais industrializados e a Rússia exigiram que a Índia e o Paquistão evitem uma escalada do conflito. O governo alemão cobrou dos dois países todos os esforços possíveis por uma solução pacífica.

default

Ministro alemão do Exterior, Joschka Fischer, cobra esforços por uma solução pacífica

Os ministros do Exterior dos sete países mais industrializados e a Rússia (G-8) exigiram que a Índia e o Paquistão evitem uma escalada da violência. Numa declaração conjunta, de iniciativa de Moscou, o G-8 manifesta preocupação com o conflito e exorta as potências atômicas Nova Déli e Islamabad ao diálogo para evitar uma guerra. O ministro alemão, Joschka Fischer, telefonou para os seus colegas paquistanês, Abdul Sattar, e indiano, Jawant Singh, e cobrou de seus governos todos os esforços para uma solução pacífica.

O Paquistão foi advertido, ao mesmo tempo pelo G-8, a agir com determinação contra os grupos terroristas que atuam a partir de território paquistanês contra a Índia. "Não há justificativa para o terrorismo", diz a declaração em que os chanceleres condenam o atentado ao Parlamento indiano em 13 de dezembro, com saldo de 14 mortos.

Nova Déli acusa Islamabad de apoiar grupos terroristas que lutam contra o domínio da Índia na Caxemira. Na disputa por esta região de fronteira, Índia e Paquistão já se enfrentaram em três guerras desde 1947. A última foi em 1971

Guerra - Apesar do endurecimento do tom da Índia e do reforço das tropas de fronteira, observadores não acreditam numa guerra iminente, por vários motivos. As últimas exigências de Nova Déli não foram em forma de ultimato e o prazo de até 5 de janeiro para redução de 50% do pessoal da embaixada foi prolongado.

Além do mais, o primeiro-ministro indiano, Atal Behari Vajpayee, e o presidente militar paquistanês, Pervez Musharraf, querem encontrar-se na próxima semana numa conferência regional, no Nepal. Para isso, Musharraf obterá uma licença especial de vôo.

Mísseis - A Índia posicionou os seus mísseis de curto alcance na fronteira, nesta semana, enquanto o Exército do Paquistão fez a maior mobilização dos últimos 30 anos. Na quinta-feira (27) Nova Déli anunciou a suspensão de todos os vôos entre os dois países a partir de 1º de janeiro, bem como as viagens de ônibus e trem. 50% do pessoal das respectivas embaixadas terão de deixar Islamabad e Nova Déli.

O governo indiano exige do paquistanês a eliminação dos grupos extremistas islâmicos Lashkar-e-Toiba e Jaish-e-Mohammed, porque teriam quartel-general no Paquistão e seriam responsáveis pelo atentado ao Parlamento em Nova Déli, duas semanas atrás. Os dois grupos são classificados como terroristas, qualificados também pelos Estados Unidos.