Futuro de Diego no Wolfsburg em aberto após ato de indisciplina | Siga a cobertura dos principais eventos esportivos mundiais | DW | 16.05.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Esporte

Futuro de Diego no Wolfsburg em aberto após ato de indisciplina

Meia abandonou a equipe antes de jogo decisivo e deixou irritados os companheiros e o técnico Felix Magath. Se mandar brasileiro embora, Wolfsburg perde o dinheiro da multa rescisória.

default

Diego custou 15,5 milhões de euros ao Wolfsburg

Os dias do meia brasileiro Diego no Wolfsburg podem estar contados, depois de o jogador ter abandonado a concentração da equipe alemã no último sábado (14/05), antes da decisiva partida contra o Hoffenheim. Ao ver que seu nome não estava na relação de titulares, o jogador simplesmente foi embora.

Mesmo sem o brasileiro, o clube alemão conseguiu evitar o rebaixamento ao derrotar o adversário por 3 a 1. Para Diego, porém, o clima ficou ruim no clube. "Essa atitude de Diego antes de um jogo tão importante não é desculpável. Isso atingiu a equipe", censurou o capitão Marcel Schäfer. Também o defensor Sascha Riether criticou Diego. "Claro que não foi no interesse da equipe. Tivemos de conseguir [a classificação] em campo sem ele."

O técnico do Wolfsfurg, Felix Magath, se mostrou decepcionado com o comportamento do brasileiro, mas evitou falar sobre o futuro do jogador no clube. "Tudo é possível", disse, ao final da partida de sábado. "Se alguém comete um erro, isso não é o que interessa. Estou pronto para trabalhar com qualquer um, mas deve estar claro todos seguem juntos no meu caminho", declarou o técnico.

Magath é conhecido por seu estilo durão, e observadores não acreditam que Diego ainda tenha uma chance no clube alemão. "Isso é falta de caráter", afirmou o "Kaiser" Franz Beckenbauer, que comenta jogos para a TV por assinatura Sky. "Não posso imaginar que Diego ainda tenha futuro com Magath."

Quebra de contrato

Teoricamente, o Wolfsburg poderia alegar quebra de contrato, explicou o advogado especializado em futebol Horst Kletke à agência de notícias DPA. "É necessário, porém, pensar nas consequências financeiras", diz Kletke.

Se simplesmente mandar Diego embora alegando quebra de contrato, o jogador estaria livre para procurar outro empregador e o Wolfsburg perderia o direito que tem à multa por rescisão de contrato, avaliada em 15,5 milhões de euros (o valor que o Wolfsburg pagou à Juventus de Turim para ter o brasileiro).

Para não perder esse dinheiro, o clube alemão precisa manter Diego na equipe e torcer para que algum outro clube se interesse pelo jogador e esteja disposto a pagar a rescisão contratual. A questão é: quem gostaria de contratar Diego? O Werder Bremen, clube onde o jogador virou estrela na Alemanha, já deixou claro que não tem interesse. "Não podemos recompensar um jogador por isso que ele fez", disse o diretor-esportivo, Klaus Allofs.

Por enquanto, Diego recebeu uma advertência e uma multa do Wolfsburg, depois de se reapresentar ao clube neste domingo.

AS/dpa/sid
Revisão: Augusto Valente

Leia mais