1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Jogos Olímpicos

Futebol brasileiro a um passo do sonhado ouro olímpico

Brasil e México se enfrentam neste sábado na final do futebol masculino dos Jogos Olímpicos de Londres. As seleções lutam pela conquista do ouro, título inédito para ambas as equipes.

As atenções dos Jogos Olímpicos de Londres estarão voltadas para o estádio de Wembley, neste sábado (11/08). Brasil e México se enfrentarão na disputa final do futebol masculino e prometem lutar pelo lugar mais alto do pódio.

Independente do campeão, o resultado será histórico: para as duas seleções, o ouro olímpico é uma premiação inédita.

As equipes jogarão sob forte pressão. O Brasil quer conquistar o único grande título que ainda falta em sua galeria. O México enfrenta a insegurança de jogar pela primeira vez para um público tão grande. O estádio estará lotado com mais de 80.000 pessoas, além dos mais de um bilhão de expectadores que devem assistir à partida pela televisão. Tradicionalmente, a final do futebol masculino é o evento com maior audiência de uma Olimpíada, além da cerimônia de abertura.

A seleção brasileira conta com grandes estrelas internacionais, como Thiago Silva, Neymar, Oscar, Lucas Moura, Hulk e Marcelo. O Brasil é o único pentacampeão mundial de futebol (tendo se qualificado para todas as 19 Copas do Mundo), conta com oito títulos da Copa América e quatro medalhas olímpicas (duas pratas e dois bronzes).

London 2012 Fussball Brasilien Südkorea

Leandro Damião marcou dois gols na vitória contra Coreia do Sul

Já o México tem apenas um jogador fora do continente norte-americano, Giovani dos Santos, que estará fora da final devido a uma lesão. Os mexicanos nunca ganharam uma Copa do Mundo nem qualquer medalha olímpica no futebol.

Apesar das grandes diferenças no currículo das duas as seleções, os mexicanos chegaram até a final de Londres invicto e já garantiu pelo menos a medalha de prata.

Brasil e a regra de 3

Nos Jogos Olímpicos de Londres, a seleção brasileira chegou à final com 100% de aproveitamento e uma média de três gols por partida. A defesa brasileira sofreu cinco gols em cinco jogos, graças à estratégia do técnico Mano Menezes e a boa atuação do goleiro Neto.

O Brasil segue como favorito na final, já que seu desempenho melhorou com o decorrer dos jogos. Nas semifinais, a equipe derrotou a Coreia do Sul por convincentes 3 a 0.

"Nós somos o Brasil e estamos aqui para ganhar a medalha de ouro", disse o atacante Leandro Damião no final da partida.

Mano Menezes e sua equipe têm sido cobrados nesta competição, já que esta é a última chance real para testar sua capacidade antes de sediar a Copa do Mundo de 2014. O Brasil foi eliminado nas quartas de final nas duas últimas Copas do Mundo, um desempenho que dificilmente será tolerado em casa.

Virada mexicana

Depois de um decepcionante empate em 0 a 0 com a Coreia do Sul em seu jogo de estreia, o México encontrou o ritmo e venceu todos os jogos posteriores.

Brasilien Mexiko Fussball Archiv

Resultado da partida será inédito para os Jogos Olímpicos

Os mexicanos chegaram à final olímpica depois de superarem o Japão por 3 a 1. A ofensiva do México resultou na segunda melhor pontuação do torneio, e sua boa defesa garantiu uma média de menos de um gol tomado por jogo.

O bom entrosamento entre os jogadores Javier Cortes, Oribe Peralta e Marco Fabian dão boa movimentação à equipe, mas a ausência do meio-campo Giovani dos Santos será sentida.

"Estou muito triste. Vou perder a final devido uma lesão muscular, agora só tenho que me recuperar e apoiar meus companheiros neste sábado," escreveu Giovani dos Santos em sua conta no Twitter.

Quase todos os jogadores do México atuam na mesma liga nacional e, por isso, estão familiarizados com o estilo de jogo de cada um. O técnico Luis Fernando Tena também tem experiência na liga, e os jogadores já estavam familiarizados com o seu sistema mesmo antes de Londres.

Bresil e México se enfrentam neste sábado às 11h da manhã, horário de Brasília.

AFN/dpa/dw
Revisão: Francis França

Leia mais