Furacão deixa mais de 260 mortos no Caribe | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 06.10.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Caribe

Furacão deixa mais de 260 mortos no Caribe

Autoridades do Haiti contabilizam 261 mortes e mais de 20 mil prédios destruídos por Matthew, que se aproxima da costa sudeste dos Estados Unidos. Obama declara estado de emergência na Flórida.

Haiti Matthew

Casas destruídas por Matthew na cidade de Jeremie, no Haiti

O furacão Matthew, o mais forte a atingir o Caribe em quase uma década, deixou ao menos 265 mortos na região, segundo números divulgados por autoridades. A maioria das mortes, 261, aconteceu no Haiti, anunciou nesta quinta-feira (06/10) o ministro haitiano do Interior, François Anick Joseph.

Uma avaliação parcial dos danos ocasionados pelo ciclone no país indicou que mais de 20 mil prédios foram severamente afetados. Joseph afirmou que o fenômeno causou uma catástrofe no sul do país, e que as informações de que dispõem são parciais porque algumas áreas estão isoladas.

No Haiti, furacão causou enchentes

Enchente na cidade de Grand Goave, provocada pela passagem de Matthew pelo Haiti

O impacto do furacão no Haiti obrigou as autoridades eleitorais a adiar as eleições gerais que estavam programadas para o próximo domingo. As enchentes levaram ao ressurgimento de um surto de cólera, com ao menos oito casos registrados. Em torno de 2 mil casas foram inundadas, e dez escolas, danificadas.

Assistir ao vídeo 01:10
Ao vivo agora
01:10 min

Furacão deixa rastro de destruição no Haiti

Após deixar um rastro de destruição no Haiti, na República Dominicana e em Cuba, o furacão avançou sobre as Bahamas nesta quinta-feira e se aproxima agora do litoral sudeste da Flórida, depois de voltar a ganhar força, sendo novamente classificado como de categoria 4.

Próximo dos EUA

O Centro Nacional de Furacões (NHC) dos Estados Unidos afirmou que o furacão apresenta ventos máximos constantes de 220 km/h e se desloca rumo ao noroeste com uma velocidade de 22 km/h. A expectativa é que ele chegue à Flórida nesta sexta-feira. A situação levou o presidente Barack Obama a declarar estado de emergência no estado e na Carolina do Sul. A medida autoriza as autoridades federais a coordenar a assistência necessária.

Haiti Matthew

Pessoas tentam atravessar um rio depois do colapso de uma ponte em Petit Goave, no Haiti

Rodovias nos estados da Flórida, da Carolina do Sul e da Carolina do Norte estão congestionadas desde a noite desta quarta-feira, com milhões de pessoas se dirigindo para regiões mais seguras após os alertas das autoridades. "Todos em nosso estado devem se preparar para um impacto direto", disse o governador da Flórida, Rick Scott. "Se Matthew atingir diretamente a Flórida, a destruição poderá ser catastrófica, e precisamos estar preparados. A tempestade já matou pessoas. Devemos esperar o mesmo impacto na Flórida."

A Geórgia, a Carolina do Norte e a Carolina do Sul, que se encontram na provável rota do furacão, também declararam estado de emergência. Quase 8 mil integrantes da Guarda Nacional estão em alerta. No total, 12 milhões de pessoas se encontram nas regiões onde o alerta de furacão está em vigor.

Matthew no Estados Unidos

Fuga do furacão causa engarrafamentos em estados do sudeste dos EUA, como a Flórida

Especialistas destacaram também a perigosa "combinação de ressaca ciclônica e grandes ondas destrutivas que poderão aumentar o nível da água do mar" e causar inundações nas zonas litorâneas. "Haverá um potencial de inundações que podem ameaçar a vida das pessoas durante as próximas 36 horas ao longo da costa leste da Flórida", alertou o NHC.

De acordo com o centro meteorológico, Matthew, que chegou a ser classificado de categoria 5, é o furacão mais poderoso que se formou no Atlântico desde Félix, em 2007, que causou mais de 130 mortes durante sua passagem pela Nicarágua.

CN/efe/ap/rtr

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados