1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Fundo de Incentivo ao Cinema Alemão faz balanço positivo

A indústria cinematográfica alemã vai de vento em popa. Um dos motivos do sucesso é o Fundo de Incentivo ao Cinema Alemão, em atividade desde janeiro de 2007.

default

Doris Dörrie competirá na Berlinale com filme subsidiado pelo DFFF

Criado pelo ministro da Cultura, Bernd Neumann, e em atuação desde 1º de janeiro de 2007, o Fundo de Incentivo ao Cinema Alemão (Deutscher Filmförderfonds – DFFF) participou na criação de 99 produções cinematográficas neste primeiro ano de existência. Entre os diretores alemães patrocinados, encontram-se nomes de peso como o de Fatih Akin, Tom Tykwer, Caroline Link e Doris Dörrie. Kirschblüten (Flores de cerejeira), desta última cineasta, participa na competição da Berlinale, que se inicia na quinta-feira (07/02). As expectativas quando da criação do DFFF foram superadas, na opinião de Christine Berg, diretora de projetos da instituição. Seu orçamento de 60 milhões de euros foi totalmente investido – nos mais diferentes projetos, a começar por pequenos documentários e filmes de ficção. "Mas conseguimos trazer também grandes produções de Hollywood para a Alemanha, grandes co-produções européias, que foram realizados aqui no país", explica. Sistema simples O sistema de fomento é surpreendentemente simples: quem pretende rodar um filme, dispõe de 75% do orçamento e já garantiu a distribuição pode entrar com um pedido de subsídio junto ao DFFF. A regra vale também para produtores estrangeiros, desde que eles gastem 25% do orçamento na Alemanha e tenham um parceiro alemão que seja "co-responsável pelo conteúdo". Preenchidos os requisitos, os cofres públicos alemães cobrem até 16% dos custos de produção. "Muitos outros países têm sistemas semelhantes de incentivo. Portanto, estava mais do que na hora de a Alemanha ter algo parecido", diz Carl Woebcken, principal acionista e presidente dos Estúdios Babelsberg. "O interessante é que conseguimos de uma hora para outra atrair um grande volume para a Alemanha, o que mostra que temos ótima fama e profissionais excelentes. O que faltavam eram simplesmente as condições que temos agora." Onze grandes produções foram realizadas no ano passado em Potsdam nos Estúdios Babelsberg, que em épocas de pique chegaram a ocupar mais de 1.600 pessoas, precisando inclusive buscar especialistas no exterior. A esperança é que o DFFF possa contribuir também para aumentar a competitividade e a qualidade das produções alemãs. De qualquer forma, um orçamento anual de 60 milhões de euros está garantido até 2009. A decisão sobre a prorrogação do sistema de incentivo para além dessa data caberá ao governo federal.

Leia mais