1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Frankfurt, cidade alemã com maior criminalidade

Fraudes com cartões bancários e de crédito cresceram de forma alarmante na Alemanha em 2003. Também os delitos violentos aumentaram. Frankfurt lidera lista das cidades com maior índice de criminalidade.

default

Grande aumento de fraudes com cartões de crédito

A cada dia são praticados mais de 18 mil crimes na Alemanha. No ano passado, aumentou em 1% o número de delitos cometidos no país. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (2) pelo Ministério alemão do Interior, em Berlim.

Enquanto as melhorias nos sistemas de alarme e de segurança dos automóveis levaram a uma diminuição na quantidade de arrombamentos e furtos de veículos, aumentou em 3,4% no ano passado o número de crimes praticados com uso de violência. O que alarmou as autoridades financeiras e de segurança, no entanto, é o crescimento em 60% da quantidade de fraudes com cartões bancários e de crédito (60%).

Com 17.159 delitos por 100 mil habitantes, Frankfurt, a metrópole financeira alemã, detém o triste título de cidade com o maior número de crimes per capita. Na lista das dez cidades alemãs estatisticamente mais perigosas, seguem-se Berlim, Hamburgo e Düsseldorf. Em décimo lugar ficou Stuttgart, com 8535 delitos por 100 moradores.

Fraudes com dinheiro de plástico

Os delitos com meios de pagamento eletrônico, principalmente nos casos em que não é exigida a senha do cliente, causam cada vez mais preocupação. A polícia registrou no ano passado mais de 64.500 casos deste tipo, quase 60% a mais que no ano anterior. Segundo a revista Focus, os prejuízos são calculados em 120 milhões de euros.

Os criminosos aproveitam-se não só da possibilidade de fazer compras pela internet, em que o pagamento pode ser efetuado através do número do cartão de crédito, mas também da compra com cartão do banco, sem a necessidade de senha. Em Düsseldorf, por exemplo, foram registrados mais de 16 mil crimes deste tipo no ano passado. Uma cifra alarmante, considerando que em 2002 haviam sido denunciados "só" 107 casos.

Leia mais