1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

França suspende entrega de navio militar à Rússia

Governo francês cede à pressão da comunidade internacional e não entrega porta-helicópteros devido à crise na Ucrânia. Ministério da Defesa russo assegura que cancelamento não afeta reforma das Forças Armadas.

O gabinete do presidente da França, François Hollande, anunciou nesta quarta-feira (03/09) a suspensão da entrega de um navio porta-helicópteros à Rússia, prevista para outubro. Após reunião do Conselho de Defesa, em Paris, o escritório da Presidência anunciou que,

apesar da perspectiva de um cessar-fogo para o conflito no leste da Ucrânia

, as "condições necessárias para a autorização da entrega do navio da classe Mistral ainda não foram cumpridas".

"As recentes ações da Rússia no leste ucraniano contrariam os fundamentos da segurança na Europa", acrescentou o comunicado.

O Ministério da Defesa da Rússia assegurou que a suspensão da entrega do navio não vai atrapalhar os planos de Moscou de reformar suas Forças Armadas. "Embora seja desagradável e acrescente tensões nas relações com nossos parceiros franceses, o cancelamento não será uma tragédia para a nossa modernização", afirmou o vice-ministro da Defesa, Yury Borisov.

Já Pavlo Klimkin, ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, usou sua conta no Twitter para agradecer a França pela "decisão responsável" e disse que esta é "importante para restaurar a paz na Europa".

Há poucas semanas, Hollande ainda insistia em fechar o negócio. "Os russos pagaram. Teríamos que restituir 1,1 bilhão de euros [, em caso de cancelamento] ", argumentava o presidente. O chefe da diplomacia francesa, Laurent Fabius, chegou a declarar que "contratos assinados e pagos, precisam ser honrados". Soldados da Marinha russa inclusive já realizaram treinamentos no porta-helicópteros.

O governo francês tem estado sob forte pressão da comunidade internacional, principalmente por parte dos Estados Unidos e do Reino Unido, para cancelar negócios militares com a Rússia. E a nova posição francesa foi anunciada justamente na véspera da cúpula da Otan, que será realizada em Cardiff, no País de Gales.

O contrato firmado entre Paris e Moscou, assinado em 2011, prevê a entrega às autoridades russas de dois navios porta-helicópteros da classe Mistral – o "Vladivostok", em outubro, e o "Sevastopol", em 2015. Cada navio tem capacidade de transportar 16 helicópteros, 13 tanques, cerca de 100 veículos militares e 450 soldados.

PV/lusa/dpa/afp/rtr

Leia mais