França ameaça retirada antecipada de suas tropas no Afeganistão | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 20.01.2012
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

França ameaça retirada antecipada de suas tropas no Afeganistão

Ataque de homem vestindo uniforme do Exército afegão deixou pelo menos quatro soldados franceses mortos e 15 feridos. Otan acredita que Talibã estaria por trás do incidente.

Franceses planejam deixar o Afeganistão em 2014

Franceses planejavam deixar o Afeganistão no fim de 2013

A França ameaçou nesta sexta-feira (20/01) retirar-se mais cedo da missão liderada pela Otan no Afeganistão, depois que um homem usando uniforme de soldado afegão, abriu fogo contra militares franceses, matando quatro e ferindo cerca de 15 – oito dos quais apresentam ferimentos graves. O ataque aconteceu no vale de Taghab, na província de Kapisa, a leste do país, e faz parte de uma lista de incidentes que envolvendo tropas afegãs e aliados ocidentais nos últimos meses.

O presidente francês, Nicolas Sarkozy, respondeu aos ataques suspendendo todos os treinamentos e operações em conjunto no país. "Não podemos aceitar que um único soldado nosso seja ferido ou morto por nossos aliados. Isso é inaceitável", afirmou Sarkozy, que está a poucos meses de enfrentar as urnas em seu país. "Se as condições de segurança não estiverem claramente esclarecidas, as chances de as tropas francesas que estão no Afeganistão sairem mais cedo aumentam", disse.

Sarkozy quer esclarecimentos sobre condições de segurança

Sarkozy quer esclarecimentos sobre condições de segurança

O governo norte-americano, que lidera a ação no Afeganistão, manifestou condolências à França, mas não comentou a eventual retirada antecipada dos franceses. "Esta é uma decisão que apenas o governo e o povo francês podem tomar", declarou o Pentágono.

Infiltração talibã

De acordo com um porta-voz da Força Internacional de Assistência para Segurança (ISAF, em inglês), o soldado afegão foi capturado e permanece detido. Apesar de não ter assumido a responsabilidade pelo ataque, o movimento fundamentalista Talibã disse à agência de notícia Reuters que um soldado afegão teria matado oito soldados franceses. A agência ressalta que o grupo islâmico geralmente exagera nas suas contas em embates contra forças estrangeiras.

O grupo afirma que ataques dessa natureza fazem parte de sua estratégia. Incidentes anteriores, nos quais soldados de países ocidentais foram mortos por colegas afegãos, estão relacionados à infiltração dos talibãs no Exército afegão, ou mesmo ao estresse, à indisciplina e à lealdade dividida nas fileiras militares.

Infiltração talibã nas tropas afegãs explicaria fogo amigo

Infiltração talibã nas tropas afegãs explicaria fogo amigo

Para o pesquisador Karim Pakzad, do Instituto Francês de Relações Estratégicas em Paris, a movimentação de Sarkozy é justamente o que o Talibã deseja. "Os talibãs estão mais fortes do que nunca e quem impor suas condições de negociação. Esses ataques são uma maneira de acelerar a saída das tropas da Otan do país", avalia o especialista.

As mortes aconteceram menos de um mês depois de dois soldados franceses terem sido mortos a tiros na mesma região por um homem também trajando uniforme de soldado afegão. Com o novo ataque, chega a 30 o número de soldados franceses mortos nos últimos 12 meses.

2.500 mortes em 10 anos

A França tem quase quatro mil soldados no Afeganistão. A maioria está no patrulhamento de Kapisa, região montanhosa próxima à capital, Cabul. Sua retirada está prevista apenas para o fim de 2013.

Fazem parte da missão da Otan quase 130 mil homens. Desde a entrada dos aliados no país, em 2001, 2.500 soldados de diferentes nacionalidades morreram no Afeganistão.

MSB/rtr/afp/ap/dpa
Revisão: Francis França

Leia mais