1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

França abre investigação sobre abuso infantil na RCA

Ministério Público abre inquérito sobre denúncia de que 14 militares franceses teriam estuprado crianças na República Centro-Africana. Ministério da Defesa já sabia do caso desde julho de 2014.

Quatorze soldados franceses, que estavam servindo como forças de paz no conflito na República Centro-Africana (RCA), foram colocados sob investigação depois de terem sido acusados de abuso infantil e estupro por seis crianças entre nove e 13 anos. Os crimes teriam ocorrido entre dezembro de 2013 e junho de 2014.

O promotor francês François Molins disse que uma investigação judicial foi lançada nesta quinta-feira (07/05), após ter recebido um parecer do editor do relatório publicado pelas Nações Unidas. Molins acrescentou que o caso foi aberto "contra pessoas não identificadas por terem cometido estupro de menores e abusados da autoridade conferida por suas funções".

"A investigação continuará agora sob a autoridade do magistrado, a fim de alcançar a verdade sobre os fatos relatados", disse o promotor, em comunicado.

Enquanto uma investigação inicial teria sido lançada pelo Ministério da Defesa da França, em julho de 2014, depois de ter recebido um relatório interno da ONU que detalhava os incidentes, a história se tornou pública somente após o jornal britânico The Guardian ter publicado a notícia em abril.

O funcionário da ONU que vazou o relatório foi suspenso por "quebra de protocolo". A Organização das Nações Unidas tem sido criticada por tentar encobrir o abuso sexual.

Soldados franceses

estavam estacionados no aeroporto da capital Bangui, que foi transformado num enorme campo de refugiados devido ao conflito.

Um dia antes do anúncio do promotor francês, o governo da República Centro-Africana afirmou que lançará sua própria investigação sobre as alegações.

"Nós lamentamos o fato de que não fomos incluídos nesta investigação, apesar dos acordos de cooperação que temos com a França", disse o ministro da Justiça do país, Aristide Sokambi, na quarta-feira.

O conflito entre rebeldes muçulmanos e cristãos deixou milhares de mortos e quase 900 mil pessoas deslocadas na República Centro-Africana.

PV/afp/ap/rtr

Leia mais