1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Fotos de Newton inauguram museu em Berlim

Dois dias após o enterro em sua cidade natal Berlim, mais de mil obras do célebre fotógrafo Helmut Newton, reunidas em duas exposições, inauguram o novo Museu da Fotografia na capital alemã.

default

Fotógrafo financiou restauração do prédio do museu, de 1909

Desde que teve de abandonar a cidade, em 1938, fugindo dos nazistas devido à sua origem judaica, Berlim nunca saiu da cabeça de Helmut Newton. Segundo sua mulher, June, ele "sempre teve muitas saudades de Berlim e queria voltar para casa". Talvez por isso Newton tenha escolhido Berlim como o lar para mais de mil de suas caras e cobiçadas fotografias.

Até sua morte aos 83 anos num acidente de carro em Los Angeles em janeiro deste ano, Newton participou ativamente da organização da mostra. Em outubro de 2003, ele doou não apenas seu arquivo à cidade, mas também o dinheiro para a reforma do antigo prédio próximo à estação Berlin Zoo, sede do novo Museu da Fotografia, que divide o espaço com a Fundação Helmut Newton, responsável pela coleção.

O que as lentes viram

As fotos de Newton, espalhadas por 2600 metros quadrados em dois andares, estão divididas em duas exposições permanentes. Us and Them (Nós e Eles) é uma mostra conjunta de Helmut e June Newton, que trabalhava sob o codinome Alice Springs. Nesta espécie de diário pessoal do casal desde 1947, estão reunidos auto-retratos, retratos que o casal fez um do outro, além de fotos de personalidades famosas.

Sex and Landscapes (Sexo e Paisagens) contém 75 fotografias em tamanho grande, representativas da fase mais tardia da carreira do fotógrafo, que inclui fotos das mulheres fortes que se tornaram sua marca registrada.

Nos outros dois andares do prédio, o Museu da Fotografia mostrará, por exemplo, imagens da coleção da Fundação Prússia, que contém fotografias tiradas na Prússia entre 1870 e 1910, além de fotos artísticas feitas em países de língua alemã também na virada para o século 20. Uma exposição do escultor Raimund Kummer, que tem como tema a relação entre fotografia e escultura, também está planejada.

Despedida de "um grande filho"

Trauerfeier für Helmut Newton in Berlin

Schröder (e) e Wowereit (d) acompanham a viúva June Newton.

Na quarta-feira (2), Berlim despediu-se de seu mais célebre fotógrafo numa cerimônia idealizada pela própria viúva de Helmut Newton. Ao som de trechos da Ópera dos três vinténs, de Bertolt Brecht, e das Quatro Estações, de Vivaldi, Newton foi enterrado a apenas alguns metros do túmulo de Marlene Dietrich, num cemitério de Schöneberg, bairro onde nasceu.

Participaram da cerimônia o chanceler alemão, Gerhard Schröder, e o prefeito de Berlim, Klaus Wowereit, além do ator Roger Moore e outras personalidades. Segundo Wowereit, "Berlim chora a perda de um grande filho". Em um gesto simbólico, a viúva Jane Newton depositou a câmera do artista junto ao caixão.

Leia mais

Links externos