1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Foto de líderes mundiais durante marcha em Paris foi tirada em rua lateral

Estampada em sites e jornais, imagem dá a impressão de que Hollande, Merkel, Cameron e outros líderes estavam à frente dos protestos. Mas eles estavam isolados e protegidos por seguranças.

Quem viu as fotos dos líderes mundiais estampadas nas capas de sites de notícias e jornais pode ter tido a impressão de que eles estavam à frente da gigantesca marcha que tomou conta das ruas de Paris neste domingo (11/01). Mas, na verdade, as fotos foram tiradas numa rua lateral, e os líderes estavam acompanhados de assessores e protegidos por seguranças. Encerrada a "sessão", eles se retiraram do local.

Ainda que, nas redes sociais, muitas pessoas tenham mostrado indignação com "essa cínica manifestação de oportunismo", como escreveu um usuário, provavelmente os líderes mundiais não quiseram deliberadamente enganar alguém – até porque a sessão de fotos foi acompanhada por centenas de pessoas e ocorreu num espaço público, à vista de todos.

A situação é fácil de entender: teria sido um pesadelo para os responsáveis garantir a segurança de líderes como François Hollande, David Cameron, Angela Merkel, Mahmud Abbas, Benjamin Netanyahu, entre muitos outros, se eles estivessem misturados a uma multidão de milhões de pessoas. O presidente do EUA, Barack Obama, justificou sua ausência com o trabalho que a sua participação daria às equipes de segurança em Paris.

Além disso, mais importante do que liderar a marcha era enviar um sinal de unidade entre as nações, de repúdio ao terrorismo e de solidariedade aos franceses.

Mas como as fotos estamparam matérias sobre a marcha (também na

DW

), muitos leitores – e também jornalistas – tiveram a impressão de que os líderes estavam à frente dos protestos, o que gerou críticas.

"Parece que os líderes mundiais não estão 'liderando' a marcha pelo Charlie Hebdo em Paris, mas fazendo uma photo op numa rua vazia e protegida", escreveu o correspondente do Financial Times no Oriente Médio, Borzou Daragahi, no Twitter. Photo op é uma situação montada, criada exclusivamente para render uma boa fotografia a ser divulgada na imprensa.

"Para mim, isso não é um problema", escreveu outro usuário. "A mensagem é a mesma, e esses líderes estão sempre sob proteção. E por bons motivos."

Segundo a imprensa francesa, a foto foi tirada na Place Léon Blum, perto da estação de metrô Voltaire. O local teria sido escolhido devido à simbologia dos nomes. Blum foi o primeiro judeu a ocupar o cargo de primeiro-ministro na França, tendo sido perseguido durante a ocupação nazista e enviado ao campo de concentração de Buchenwald.

Voltaire é um dos maiores filósofos da França e um dos grandes nomes do Iluminismo, tendo influenciado decisivamente os ideais da Revolução Francesa. Ele se opôs fortemente à intolerância religiosa e foi um ardente defensor da liberdade de expressão e de opinião.

Leia mais