1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Formando executivos para os esportes

Universidades e escolas superiores alemãs apostam num ramo relativamente novo: a formação de administradores e gerentes para a área de esportes.

default

De jogador a executivo: Uli Hoeness é considerado exemplo

Há muito o futebol deixou de ser apenas esporte para tornar-se um árduo ramo de negócios. Quem quer se afirmar nesse campo necessita de sólida formação. Para suprir a crônica deficiência entre os executivos dos clubes de futebol e de outras modalidades, as universidades alemãs estão oferecendo cursos de Administração e Economia dos Esportes.

Durante 15 anos, Martina Zellner foi atleta, chegando a ser campeã mundial e olímpica de biatlon, uma combinação de esqui nórdico e tiro ao alvo. Com 29 anos, ela encerrou sua carreira ativa, mas quis manter-se dentro da área. Assim, desde o início de 2003, ela estuda Economia dos Esportes, juntamente com 29 colegas, na European Business School, nas vizinhanças de Wiesbaden.

O currículo desse curso intensivo, com duração de um ano, contém tudo de que necessita um executivo na área: ele tem que conhecer as estruturas do mundo esportivo, mas também dispor de conhecimentos sobre economia e talento organizacional. Além disso, precisa dominar o direito trabalhista dos profissionais dos esportes, assim como desde o direito de marketing à organização de grandes eventos.

O caminho das pedras

A conexão entre teoria e prática é vital para esse estudo. Por isso, a European Business School convida com freqüência executivos da área, gente de fama, experiência e sucesso. Um destes é o ex-jogador Uli Hoeness, campeão do mundo de futebol em 1974 e há vários anos diretor-executivo do mais bem sucedido clube profissional da Alemanha, o Bayern de Munique. Com prazer, Hoeness transfere aos iniciantes suas receitas de sucesso.

Até o momento, mais de 1400 pessoas já se informaram sobre o curso de Administração de Esportes. Contudo, apenas 30 conseguiram entrar para escola em Wiesbaden, cujo curso custa cerca de 11.500 euros. Dentre os selecionados, encontra-se de ex-profissionais do atletismo a administradores com uma queda para o esporte.

Ao lado da European Business School, 13 universidades alemãs formam economistas para a área. Além disso, a Escola Superior de Educação Física (Sporthochschule), sediada em Colônia, promove regularmente abrangentes congressos internacionais sobre Economia dos Esportes.