1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Forças nigerianas repelem ataque do Boko Haram no norte do país

Milícia terrorista lançou investida contra a cidade de Gombe, no norte da Nigéria. O local já havia sido alvo de atentados, mas não de um ataque direto. Países vizinhos se unem no combate aos extremistas.

Forças de segurança nigerianas repeliram neste sábado (14/02) um ataque do Boko Haram à cidade de Gombe, no norte do país.

Centenas de integrantes da milícia terrorista entraram em combate violento contra o Exército, ao tentar invadir o local. Dois caças da Força Aérea nigeriana participaram da contraofensiva. Os combates mais violentos ocorreram a cerca de três quilômetros da cidade.

Moradores afirmam que os fundamentalista islâmicos deixaram a região num comboio de veículos que carregava dezenas de cadáveres.

"Ouviu-se eles dizerem às pessoas dos vilarejos próximos a Gombe que não vieram para atingir os civis, mas sim, os agentes de segurança", contou um dos moradores. Os milicianos haviam distribuído panfletos, convocando a população a boicotar as próximas eleições no país.

A Nigéria já havia

adiado por seis semanas as eleições presidenciais

, inicialmente marcadas para este sábado, em razão da ameaça imposta pelo Boko Haram à segurança no norte do país. O grupo almeja a criação de um Estado islâmico no norte da Nigéria, de maioria muçulmana, ao contrário do sul, de maioria cristã.

Durante os seis anos da insurgência promovida pelo Boko Haram, Gombe foi alvo de atentados suicidas e outros ataques a bomba, mas ainda não fora atacada diretamente pelos extremistas.

Há duas semanas, dois ataques suicidas deixaram vários feridos em frente a um estádio, minutos após o presidente Goodluck Jonathan realizar discurso de campanha no local. Em dezembro, um ataque realizado por um carro-bomba na cidade deixou pelo menos 20 mortos

Força regional contra o Boko Haram

Camarões

,

Chade

e

Níger

, países que fazem fronteira com a Nigéria, se uniram ao governo nigeriano no combate aos extremistas, que já realizaram diversos ataques além dos limites do país.

Na sexta-feira, o Boko Haram atacou um vilarejo no Chade, sendo esta a primeira ofensiva realizada pelo grupo no país que causou mortes. Segundo militares chadianos, o ataque fez no mínimo quatro vitimas. Na semana anterior, cerca de 100 civis foram assassinados pelos terroristas na localidade camaronesa de Fotokol.

Juntamente com o Benin, os três países vizinhos se comprometeram a participar de uma força militar regional contra o Boko Haram, que deverá ser lançada nas próximas semanas. As ações violentas do grupo de terroristas fundamentalistas na Nigéria já mataram 13 mil e forçaram 1,5 milhão a se refugiar, desde 2009.

RC/rtr/afp/dw

Leia mais