1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Fontes alternativas já cobrem mais de um quinto da energia nuclear

A participação das fontes alternativas de energia no total da produção alemã de eletricidade cresceu no ano 2001 e já alcança mais de um quinto da energia atômica.

default

O aproveitamento da energia eólica foi o que mais cresceu em 2001

O aproveitamento de fontes renováveis de energia – como água, vento, biomassa e luz solar – vem recebendo grande incentivo do governo alemão, sob a forma de subvenções e de ajudas financeiras diretas. Com isto, o volume de produção de eletricidade com a utilização de tais recursos está aumentando a cada ano. Em 2001, foi produzido um total de 36 bilhões de quilowatt/hora, o que significou um aumento de 2% em relação ao ano anterior. No total da produção de eletricidade, a chamada "corrente ecológica" representou uma parcela de 7,25%.

Mas também a produção das usinas nucleares cresceu, atingindo um novo recorde. As 19 usinas nucleares alemãs produziram 171,3 bilhões de quilowatt/hora no ano passado. Entre os 31 países que produzem eletricidade com energia atômica, a Alemanha ocupa o quarto lugar, superada apenas pelos Estados Unidos, a França e o Japão. Uma das usinas alemãs, a Isar-2 no Estado da Baviera, é a campeão mundial de produção: em 2001, gerou 12,4 bilhões de quilowatt/hora de eletricidade.

Alternativa energética

Em fevereiro do ano passado, foi acertado entre o governo alemão e o setor energético o abandono paulatino da energia nuclear. De acordo com o cronograma em vigor, a última das 19 usinas atômicas deverá ser desativada até o ano de 2021. Com isto, a lacuna que surgirá no abastecimento energético da Alemanha terá de ser coberto através do aproveitamento das fontes alternativas de energia. Os incentivos governamentais tiveram efeitos positivos sobre o volume de produção de eletricidade em 2001.

A fonte alternativa, cuja exploração mais cresceu, foi a da energia eólica. Os numerosos cata-ventos construídos em todo o país proporcionaram um crescimento de 21% ao setor e a geração de 11,5 bilhões de quilowatt/hora, no ano passado. A produção de eletricidade com fontes renováveis encerra, contudo, o risco das condições climáticas. A VDEW citou o exemplo das usinas hidrelétricas, cuja produção em 2001 (19,8 bilhões de quilowatt/hora) foi menor que no ano anterior (21,7 bilhões de quilowatt/hora), em decorrência do menor volume de chuvas.