1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

FMI prevê queda de 3% no PIB do Brasil em 2015

Recuo da economia é o dobro do que o fundo projetava há apenas três meses. País tem segundo pior desempenho da América Latina, atrás somente da Venezuela.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) afirmou nesta terça-feira (06/10) que a economia brasileira deverá encolher 3% em 2015, 1,5 ponto percentual mais do que na previsão de três meses atrás. A instituição atribuiu a piora à "deterioração da confiança" e à "queda dos investimentos".

Além disso, o crescimento negativo da maior economia da América Latina deve continuar em 2016, quando o PIB deverá sofrer nova queda de 1%, prevê o FMI em seu relatório Perspectivas Econômicas Globais.

"No Brasil, os negócios e a confiança do consumidor continuam em queda, em grande parte devido à deterioração das condições políticas. O investimento está caindo rapidamente, e o necessário ajuste da política macroeconômica está exercendo pressão sobre a demanda doméstica", afirma o relatório.

Além do cenário político conturbado, o Brasil enfrenta um grande deficit fiscal – uma das razões pelas quais a Standard & Poor's baixou a nota de crédito do país no mês passado –, além de inflação, desemprego e depreciação da moeda.

Segundo o FMI, considerando a dimensão e a interconexão da economia brasileira, seu mau desempenho pode ter efeitos negativos significativos sobre o crescimento de outros países da região. A previsão é de que a economia da América Latina e do Caribe recue 0,3% neste ano e avance apenas 0,8% em 2016.

"Na América Latina, a desaceleração do Brasil foi maior que o esperado", e com os preços das commodities em queda, outros países da região são afetados, avalia o FMI. Na América Latina, as previsões são piores apenas para a Venezuela, cujo PIB deve sofrer queda de 10% em 2015, e de 6% em 2016.

Para os países emergentes, o FMI indica o quinto ano consecutivo de desaceleração, em meio tanto à queda dos preços das commodities quando à redução do crescimento econômico da China. O Brasil aparece entre as piores previsões, atrás da Rússia, cujo PIB deve recuar 3,8% neste ano. A China deve crescer 6,8%, e a África do Sul, apenas 1,4% em 2015.

O destaque positivo entre os emergentes é a Índia, que deverá crescer 7,3% em 2015 e 7,5% em 2016.

Para 2016, a previsão é de recuperação para os mercados emergentes. Em países como Brasil, Rússia e outros da América Latina, o crescimento deve continuar fraco ou negativo, porém o resultado será melhor do que neste ano, diz o FMI.

Para a economia mundial, o FMI prevê crescimento de 3,1% em 2015 e de 3,6% em 2016. Essas estimativas são 0,2 ponto percentual inferiores às de julho passado.

LPF/efe/afp/rtr

Leia mais