1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Fischer garante ajuda alemã à Palestina

O ministro alemão das Relações Exteriores assegurou, na conferência internacional sobre o Oriente Médio, em Londres, a ajuda da Alemanha na criação da Palestina como um Estado autônomo.

default

Ministro alemão conversou com Abbas na capital britânica

Na conferência internacional sobre o Oriente Médio realizada nesta terça-feira (01/03) na capital britânica, o ministro alemão do Exterior, Joschka Fischer, assegurou aos palestinos o apoio da Alemanha na criação de um Estado autônomo. Ele destacou também a necessidade da transparência na aplicação dos recursos vindos do exterior. Segundo ele, este dinheiro não pode desaparecer em "canais obscuros".

A conferência, aberta na manhã desta terça-feira pelo presidente palestino, Mahmoud Abbas, teve a participação de representantes de 23 países, mas Israel não esteve presente. A conferência de um dia foi uma iniciativa do premiê britânico, Tony Blair, e teve a presença da secretária de Estado norte-americana, Condoleezza Rice, dos ministros das Relações Exteriores da França e da Alemanha, assim como do secretário-geral das Nações Unidas, Kofi Annan.

Prioridade à segurança

Os participantes da conferência elogiaram os planos de reforma do presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas. Segundo eles, as medidas são "um passo importante na implementação das responsabilidades previstas no plano de paz Road Map". Abbas, por seu lado, assegurou o engajamento completo de seu governo na questão da segurança.

O primeiro-ministro israelense, Ariel Sharon, se disse "satisfeito" com o resultado da conferência, mas advertiu ser impossível avançar no processo do Road Map enquanto a Autoridade Palestina não agir com determinação contra o terror e destruir as organizações terroristas.

Blair salientou que o encontro definiu os "passos práticos necessários" para o apoio sustentado à criação de um Estado Palestino. Foram definidas medidas concretas nas áreas de segurança e administração, assim como para o desenvolvimento social e econômico da Palestina.

O documento final da conferência prevê a constituição de uma comissão coordenadora para questões de segurança, que terá a chefia dos EUA. Para aumentar a eficiência administrativa, haverá apoio financeiro às eleições e a Justiça será fortalecida. O montante da ajuda econômica à Autoridade Palestina em 2005 será de 910 milhões de euros, segundo fontes palestinas.

Solução com dois Estados

A secretária de Estado norte-americana, Condoleezza Rice, advertiu Israel a não bloquear os esforços de paz através de decisões unilaterais. O primeiro-ministro britânico, Tony Blair, disse que o objetivo é uma solução com dois Estados: uma Palestina independente e um Estado de Israel que se sinta seguro.

O encarregado da política externa e de segurança da EU, Javier Solana, ressaltou que é preciso "garantir melhores condições de vida para os palestinos". Já o ministro francês das Relações Exteriores, Michel Barnier, sugeriu a realização de mais uma conferência internacional sobre o Oriente Médio, no segundo semestre deste ano, com a participação de Israel e de toda a comunidade internacional.

Os EUA anunciaram o envio de um encarregado especial para chefiar uma equipe internacional de assessoria à Autoridade Palestina em questões de segurança e coordenar in loco os esforços pela paz.

Leia mais