1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Berlinale

Filme romeno "Child's Pose" é o grande vencedor da Berlinale 2013

Em um ano sem grandes favoritos, obra do cineasta Calin Peter Netzer conquista o Urso de Ouro. Com um caráter altamente político, o júri ainda premiou o bósnio Danis Tanovic e o iraniano Jafar Panahi.

Com forte presença de filmes americanos, franceses e do leste europeu, o júri presidido pelo cineasta Wong Kar Wai concedeu o Urso de Ouro para Child's Pose do romeno Calin Peter Netzer.

Contando com um grande desempenho de Luminita Gheorghiu no papel principal, o filme fala de uma relação patológica entre mãe e filho, que explode quando o jovem atropela e mata uma criança. Na luta da mãe para salvar seu filho da cadeia, o filme faz um retrato da sociedade romena hoje.

O cinema do leste europeu teve grande destaque na competição deste ano, com concorrentes da Romênia, Polônia e Bósnia. Nos últimos anos, os filmes romenos têm feito grande sucesso nos festivais internacionais.

Urso político

As escolhas do júri apresentaram ainda um caráter altamente político.O prêmio de melhor roteiro foi para os diretores Jafar Panahi e Kamboziya, também diretores de Closed Curtain.

Berlinale 2013 Preisträger Nazif Mujic Preis für den Besten Darsteller Silberner Bär

Nazif Mujic interpreta sua própria história em "An Episode in the Life of an Iron Picker" de Danis Tanovic

O filme mostra um homem e um cachorro confinados em uma casa – um paralelo com a história pessoal de Panahi. O diretor iraniano não compareceu ao festival, pois cumpre pena domiciliar. Ele também foi banido de exercer sua profissão por 20 anos, acusado de fazer propaganda contra o regime de seu país.

Uma surpresa foi o prêmio de melhor ator para Nazif Mujic em An Episode in the Life of an Iron Picker, de Danis Tanovic. O ator interpreta sua própria história ao mostrar as dificuldades vividas por um desempregado de etnia rom lutando pela sobrevivência de sua própria família. O filme, que conta com um elenco de não atores, também ganhou o Grande Prêmio do Júri.

Os jurados ainda concederam duas menções honrosas para Promise Land, de Gus Van Sant, e Layla Fourie, de Pia Marais. Segundo o diretor do festival, Dieter Kosslick, e o presidente do júri, Wong Kar Wai, esses filmes mostram "que o cinema pode fazer diferença."

O triunfo de Gloria

Em um ano em que as mulheres dominaram a Berlinale, uma vitória mais do que esperada foi de Paulina García por Gloria. A atriz chilena é a alma do filme que acompanha os dramas de uma mulher de meia idade em busca do amor e da felicidade.

Berlinale 2013 Preisträger Paulina Garcia Preis für die Beste Darstellerin Silberner Bär

A chilena Paulina Garcia já era a favorita ao Urso de Prata de melhor atriz por "Gloria"

O Urso de Prata de melhor diretor foi para o americano David Gordon Green pelo road movie Prince Avalanche. O prêmio de melhor contribuição artística foi para Aziz Zhambakiyev, diretor de fotografia de Harmony Lessons, de Emir Baigazin. Vic+Flo Saw a Bear, de Denis Côté, levou o Urso de Prata pelo seu caráter inovador e por abrir novas perspectivas.

Prêmio para produções brasileiras

Entre os prêmios entregues por júris independentes, o documentário Hélio Oiticica, do diretor Cesar Oiticica Filho, foi eleito pela Fipresci (Associação Internacional dos Críticos de Cinema) o melhor filme da seção Forum. "Depois de dez anos, sinto que valeu a pena a espera, que prova que pequenas produtoras estão hoje escrevendo a nova história do cinema," disse o diretor.

O filme também levou o Prêmio Caligari, concedido pela Associação Alemã Municipal de Cinema e Cultura ao filme de temática inovadora dentro da seção Forum. "O mosaico construído com o material encontrado por Cesar Oiticica Filho é uma narrativa frenética de imagens, movimentos, texturas, ritmos e sons," declarou o júri do prêmio.

Entre as 52 produções de 33 países selecionadas para a mostra Panorama, Você Nunca Disse Eu Te Amo, de Bruno Barreto, terminou em segundo lugar na escolha do público. O filme retrata a história real e pouco conhecida do amor entre a poetisa americana Elisabeth Bishop, interpretada por Miranda Otto, e a arquiteta carioca Lota de Macedo Soares, vivida por Glória Pires.

Autor: Marco Sanchez
Revisão: Mariana Santos

Leia mais