1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Filme busca desvendar motivações de autores de massacres

Nos últimos anos, vários diretores se ocuparam do tema atiradores em série. Também o alemão Thomas Sieben tenta entender os motivos que levam a esse crime.

Como surge a violência? O que leva jovens a se tornarem violentos? Há alguns anos, o cineasta alemão Thomas Sieben já havia feito essas perguntas ao apresentar no Festival de Cinema de Berlim o seu primeiro filme de ficção, Distanz (distância). O roteiro contava a história de um jovem que atirava repetidamente – e, aparentemente, de maneira aleatória – em pessoas estranhas. Agora, com seu segundo filme, Sieben volta ao tema, mas com outra abordagem.

Staudamm ("A represa"), que estreia este mês nos cinemas alemães, trata de um tiroteio numa escola – uma tragédia que, nos últimos anos, aconteceu com certa frequência, especialmente nos Estados Unidos e na Alemanha, e que também chegou a acontecer no Brasil.

Staudamm estreou no ano passado no Festival Max Ophüls, em Saarbrücken, no centro-oeste da Alemanha. Mas o que, exatamente, o diretor aborda em seu novo filme? E, principalmente, por que ele assume uma atitude de distância em relação ao tema? Em entrevista à DW, Sieben disse que o assunto é complexo demais para respostas simples. "Eu também me questiono por que uma coisa assim acontece. Não há respostas fáceis para tais atos", explica.

"É necessário abordar o tema com atenção", diz o jovem diretor, acrescentando que quem se dedica a um tema como esse deve fazê-lo com responsabilidade, caso contrário corre-se o risco de agir negligentemente. Para o novo filme, o diretor e seu coautor Christian Lyra tinham em mente uma espécie de caleidoscópio, uma colagem cinematográfica, na qual diferentes fragmentos do tema deveriam ser apresentados a partir de diferentes pontos de vista.

Deutschland Film Filmfestival Max Ophüls Preis 2013 Filmszene Staudamm

Busca por explicações: Friedrich Mücke e Liv Lisa Fries em "Staudamm"

Abordagem indireta

O filme não inicia a narrativa com o crime, mas um ano após o ataque. O jovem Roman (interpretado por Friedrich Mücke) trabalha para um promotor que compila arquivos para o processo do caso. Roman se desloca para o local do crime, um vilarejo na região de Allgäu, no sul da Alemanha.

Lá ele coleta documentos com as autoridades policiais, monta dossiês, tenta entrar em contato com os parentes das vítimas. Em suas pesquisas, conhece a jovem Laura (interpretada por Liv Lisa Fries), que testemunhou de perto o assassinato em massa. Laura e Roman se aproximam e tornam-se amigos.

Através desse contato, o filme e também os espectadores se aproximam do tema de forma cuidadosa, distanciada e cautelosa. Staudamm não lança mão de explicações simplórias. É claro que uma decepção amorosa na puberdade pode desempenhar algum papel em tudo isso, diz Sieben. "Alguém que vivenciou algo assim sabe o que isso significa. É pior que ser reprovado em matemática." Mas isso, por si só, não pode ser a razão para tais atos, afirma o diretor.

Staudamm sugere outros motivos: o provincianismo, a vida numa cidade pequena, a mentalidade estreita das pessoas. Para o diretor, o fato de Roman sentar-se ao computador e jogar, numa das cenas do filme, não deve ser entendido como uma alusão indireta às motivações de um atirador.

O próprio Sieben desenvolveu jogos de computador e trabalhou como jornalista especializado no tema. Ele é conhecedor do assunto: "99% dos jovens do sexo masculino jogam no computador, 90% deles também jogam como FPS [First Person Shooter, um gênero no qual se vê apenas o ponto de vista do atirador]. Todos nós crescemos com isso. Este certamente não é o motivo."

Deutschland Film Filmfestival Max Ophüls Preis 2013 Filmszene Staudamm

Filme não oferece respostas fáceis, mas alusões e pistas

Longe dos clichês

O filme não proporciona mais do que alusões e pistas, sem oferecer respostas definitivas. Um exemplo de explicação simplória seria a pornografia, diz Lyra. Se um filme oferece soluções simplória, ele é irresponsável e perigoso, afirma. "Roman se aproxima dessa coisa inconcebível da mesma forma que os espectadores. Nosso herói vem de longe e, em seguida, empreende uma viagem ao coração das trevas", diz.

Para o coprodutor Felix Parson, foi importante abordar o tema dos atiradores de uma forma séria, fora do habitual estilo sensacionalista.

O filme também foi um grande desafio para a jovem atriz Liv Lisa Fries. "O papel está muito distante de mim. Nunca vivenciei algo semelhante. Para mim, foi uma viagem, tanto quanto para a personagem no filme. No começo, eu não sabia para onde ir."

Por todos esses motivos, Staudamm convenceu os espectadores no festival em Saarbrücken no ano passado. Talvez porque ele aborde um assunto que se distancia das tradicionais histórias juvenis sobre a vida na metrópole e as dificuldades em se tornar adulto. Staudamm olha profundamente para o abismo da sociedade moderna, mas sem fazer considerações morais – ninguém é colocado no banco dos réus.

Leia mais