1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Filho de Speer constrói na China

O pai foi o grande arquiteto de Hitler. Mas Albert Speer Junior, também arquiteto, não gosta de construções dispendiosas. Seu nome está ligado ao planejamento urbano ecológico e a sensacionais construções na China.

default

Albert Speer Junior deixou marcas em diversas cidades do país

Speer Junior esteve pela primeira vez no maior país asiático há cerca de dez anos. Na época, ele participava de um projeto da Unesco para reconstrução do centro histórico da cidade de Tianjin. Desde então, o arquiteto parece não conseguir mais se desligar da China: com seus parceiros chineses e alemães, ele coordena mais de 80 projetos no país.

Novas idéias do exterior

De Xangai a Pequim, de Nanjing a Anting – Speer deixou marcas por várias cidades chinesas. Um parque de alta tecnologia em Xangai e um estudo para uso posterior dos prédios da Expo 2010 são apenas dois exemplos.

"Não é apenas o curto tempo de construção, mas em grande parte as decisões qualificadas", afirmou o arquiteto sobre o que o fascina no país. "O que também me fascina são os mais de 2 mil anos de história e cultura, tudo o que se pode fazer em urbanismo e as dificuldades em se combinar as culturas européia e chinesa."

Albert Speer Architektur Vogelperspektive des Zhang Jiang Hi-Tech Parks in Shanghai-Pudong

Projeto do parque de alta tecnologia de Xangai

A modernização pela qual passa o país também se reflete na construção civil. O diretor de uma construtora chinesa Zhu Yue afirma que a indústria da construção civil de Pequim está numa fase de forte desenvolvimento. "Arquitetos estrangeiros nos trazem novas idéias. Desde o final dos anos 1990, muitos jovens ocupam postos no governo local. É uma liderança com boa formação e que tem uma nova compreensão da cultura estrangeira. Desde então, a diversidade e a individualidade ganharam muita importância no estilo arquitetônico das cidades."

A Veia do Dragão

Foi essa nova situação que deu a Speer a chance única de apresentar um projeto para o eixo norte-sul da capital chinesa. Segundo antigos princípios de Feng Shui, a parte norte da cidade está localizada na assim chamada Veia do Dragão, portanto na posição geográfica ideal.

Feng Shui é uma filosofia centenária, para a qual o ambiente está em conexão direta com as pessoas que nele vivem – não importa se o ambiente é um quarto, uma casa, um complexo de edifícios ou toda uma cidade.

No sul da capital chinesa há principalmente bairros residenciais para pessoas humildes. Para balancear o desenvolvimento de Pequim, Speer apresentou um plano ousado: no sul deverão ser construídos um aeroporto, um parque de alta tecnologia e um enorme shopping center , cercados por áreas verdes e espaços para agricultura.

Vista do alto, Pequim formaria a letra do alfabeto chinês Zhong (meio), o símbolo da China, o Império do Meio. Mas devido aos intensos preparativos para os Jogos Olímpicos de 2008 e a Expo 2010 em Xangai, o projeto ainda está em discussão.

Algumas decepções

Segundo Zhu Yue, arquitetos estrangeiros não trazem apenas novas idéias para a construção, mas também materiais e tecnologias que não prejudicam o meio ambiente e, principalmente, conceitos ousados, que correspondem às necessidades de cada projeto.

E, acrescenta Speer, qualidade. Ele não escapou de algumas decepções no Império do Meio. "A maior decepção é que algumas empresas chinesas não respeitam os contratos. Na China, um contrato assinado não tem o mesmo valor que na Alemanha. Nós construímos coisas com base em contratos assinados e nem por isso fomos pagos."

Leia mais