1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Esporte

Fifa nega envolvimento de Valcke em corrupção

Entidade afirma que ninguém de seu alto escalão político está envolvido na transferência de 10 milhões de dólares ao ex-vice-presidente Jack Warner. Dinheiro teria sido enviado para uso em projeto social.

Em comunicado divulgado nesta terça-feira (02/06), a Fifa reconheceu ter realizado o pagamento de 10 milhões de dólares, mas negou que o secretário-geral da entidade, Jérôme Valcke, tenha sido a pessoa a autorizar, em 2008, a transferência do dinheiro ao então presidente da Concacaf, Jack Warner.

"Nem o secretário-geral, Jérôme Valcke, nem qualquer outro membro da alta gerência da Fifa estiveram envolvidos na iniciação, aprovação e implementação do pagamento", afirma o comunicado.

A Fifa diz que o pagamento foi aprovado pelo então presidente do Comitê de Finanças, o argentino Julio Grondona, um membro de longa data do Comitê Executivo da Fifa e que morreu no ano passado.

O comunicado explica que os 10 milhões de dólares foram retidos do orçamento operacional do Comitê Organizador Local (COL) da Copa do Mundo de 2010, na África do Sul.

Segundo a entidade, o COL pediu à Fifa que repassasse o dinheiro para um projeto de apoio "à diáspora africana em países caribenhos como parte do legado da Copa do Mundo".

A declaração da Fifa veio poucas horas depois de o jornal americano The New York Times ter publicado que as autoridades americanas acreditam que foi

Valcke que transferiu o dinheiro para contas bancárias controladas por Warner

, que também é ex-vice-presidente da entidade.

O New York Times também informou que Valcke negou as acusações num comunicado enviado por e-mail à redação do jornal.

O pagamento de 10 milhões de dólares é a base de uma investigação conduzida pelo Departamento de Justiça dos EUA, que levou à

prisão de diversos cartolas do futebol mundial

, em Zurique, na semana passada, e ao indiciamento de um total de 14 pessoas sob a acusação de extorsão, fraude e lavagem de dinheiro. Jack Warner se entregou às autoridades em Trinidad e Tobago, mas foi liberado sob fiança.

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, que foi

reeleito para um quinto mandato

na sexta-feira, negou ser o não identificado "alto funcionário" nomeado na acusação americana como o responsável pelo pagamento de 10 milhões de dólares.

PV/afp/ap/rtr

Leia mais