1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Futebol

Fifa confirma tecnologia da linha do gol na Copa de 2014

Entidade abre concorrência para definir sistema ideal, que será usado também na Copa das Confederações deste ano. Objetivo é auxiliar árbitros em lances duvidosos.

Após a realização de extensivos testes, a Fifa confirmou nesta terça-feira (19/02) que a chamada tecnologia da linha do gol (TLG) será utilizada na Copa do Mundo de 2014 e na Copa das Confederações deste ano, no Brasil.

"O objetivo é utilizá-la para ajudar os árbitros, instalando um sistema em cada um dos estádios. Após a correta instalação da mesma, serão realizados testes com a arbitragem antes dos jogos", explica a Fifa em seu website.

O anúncio desta terça-feira já era esperado. Desde a Copa de 2010, quando foi anulado um gol claro do inglês Frank Lampard contra a Alemanha, o presidente da Fifa, Joseph Blatter, passou a defender o uso de certas tecnologias para auxiliar o árbitro. Em julho passado, a IFAB, órgão da Fifa responsável por definir possíveis mudanças nas regras, aprovou o uso do sistema na linha do gol.

Duas tecnologias foram testadas no Mundial de Clubes do Japão, em dezembro passado. Uma, chamada Hawk-Eye, usa um sistema de câmeras. Outra, GoalRef, utiliza sensores magnéticos nas traves e um chip instalado dentro da bola para realizar a confirmação de um gol. Quando a bola cruza a linha de fundo, um sinal é enviado a um relógio usado pelo árbitro. As duas já foram aprovadas pela Fifa.

Goal Line Technology

Uso de chip na bola é um dos sistemas disponíveis

Como há outras tecnologias disponíveis no mercado, a Fifa abrirá uma concorrência para definir qual empresa fornecerá os sistemas para as duas competições no Brasil. Espera-se que outros dois sistemas, ambos alemães, também entrem na disputa. Um vencedor deverá ser anunciado até abril.

Em princípio, a decisão não torna o uso do sistema obrigatório em competições nacionais. No ano passado, em evento no Rio de Janeiro, o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, sugeriu que a tecnologia seria deixada como legado para o Brasil nos 12 estádios da Copa em que for instalada. Os sistemas testados no Japão custam entre 150 mil e 190 mil dólares cada.

Sistemas aprovados

O Hawk-Eye (olho de falcão) é uma tecnologia oriunda do tênis e vem da Inglaterra. Até seis câmeras são utilizadas para gravar imagens do jogo. Estas são enviadas para um computador, que avalia a posição da bola e, em caso de gol, envia um sinal para o relógio de pulso do juiz. Um ponto fraco: se um jogador cobrir a bola com o corpo, não é possível gravar a imagem.

O GoalRef tem a decisiva participação do Instituto Frauenhofer de Erlangen, na Alemanha. Nesse sistema é criado um campo magnético na área do gol e outro dentro e ao redor da bola, sempre que ela se aproxima do gol. A criação do campo magnético dentro e ao redor da bola é possível graças a um chip, embutido dentro da bola. A interação entre os dois campos magnéticos é captada por sensores instalados nas traves. Por meio das alterações no campo magnético na área do gol é possível determinar a posição exata da bola. Também nessa tecnologia, um computador envia um sinal para o relógio de pulso do juiz.

RPR/rtr/ap/dpa
Revisão: Alexandre Schossler

Leia mais