1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Festival de cinema destaca filmes dirigidos por mulheres

Em Colônia, serão exibidas 120 películas de cineastas de 32 países. Indianas e iranianas ganham mostras especiais. Brasil é representado por produção de diretora carioca.

default

O filme brasileiro 'Indústria Automobilística Procura Piloto de Teste' será exibido no festival

Na Alemanha, um festival internacional de cinema apresenta apenas produções dirigidas por mulheres. Durante cinco dias, serão exibidos 120 filmes de 32 países. A programação conta também com workshops, debates e festas.

Feminale é resultado da fusão do tradicional festival de Colônia de mesmo nome com o Femme Totale de Dortmund, na Alemanha. Esta é a primeira edição do evento após a fusão. A exibição dos filmes acontecerá de 11 a 15 de outubro, nos cinemas Metrópolis e Kölner Filmhaus.

O festival é dividido em cinco mostras. A única competitiva é Horizontes, que traz oito longas de ficção de diretoras estreantes na corrida pelo prêmio principal de 10 mil euros e o do público, de 1000 euros. O objetivo é revelar e promover novos talentos.

Índia e Irã

Cease Fire, Tahmineh Milani auf der Feminale

'Cessar Fogo', da diretora iraniana Tahmineh Milani

Em Panorama, serão exibidas as tendências da produção internacional feminina da atualidade. Foram selecionados 50 filmes entre os cerca de mil inscritos. E a sessão "Quer Blick" conta com as últimas produções do mundo GLS (sigla para gays, lésbicas e simpatizantes). Recebe destaque a produção britânica Gypo, a primeira a receber o prêmio Dogma 95, que propõe um cinema mais realista e menos comercial.

Há também uma seção de curtas-metragens e duas mostras temáticas. Uma delas sobre a Índia, na qual as diretoras Aparna Sen e Madhusree Dutta serão homenageadas pelo engajamento social de suas produções. A outra mostra temática traz o Irã em foco, revelando impressões sobre o país e as condições nas quais as mulheres vivem no país.

Apesar de propor olhares femininos, Feminale não é restrito às mulheres, enfatiza uma das diretoras do festival, Beate Preisler. "Embora as cineastas continuem não sendo representadas na indústria, a multiplicidade de prêmios que elas ganham nos festivais é inversamente proporcional a essa representação. E é esse o motivo pelo qual estamos aqui. Para mostrar filmes que são corajosos, inovadores e que merecem ter uma larga audiência", afirma.

Brasil representado

Madhusree oder Madhursee Dutta, Feminale

Cena de filme da diretora indiana Madhusree Dutta

O filme Indústria Automobilística Procura Piloto de Teste, da cineasta carioca Chloë de Carvalho, 30 anos, é o representante brasileiro na primeira edição do Feminale.

O curta tem 18 minutos de duração, foi rodado no centro do Rio de Janeiro e conta a história de uma moça que chega à cidade grande pela primeira vez em busca de um emprego. Ao ver um anúncio procurando um operador de projetor para o tradicional Cine Íris, ela vai em busca da vaga apesar de não saber operar o projetor. O que se segue é uma seqüência de trapalhadas convertidas em cenas cômicas.

A diretora diz que o filme tenta mostrar "a batalha diária dos brasileiros por um emprego e o espírito de se virar e tentar encontrar uma solução de qualquer maneira. Mas é também uma proposta de entretenimento, não é preciso tratar tudo com tanta seriedade sempre."

Indústria Automobilística Procura Piloto de Teste foi exibido em festivais na Croácia, na Itália, na Espanha, e, depois de Colônia, segue para o festival de curtas de Miami, nos Estados Unidos.

Leia mais