1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Festival de Berlim aposta na produção nacional

A 57ª versão do Festival Internacional de Cinema de Berlim promete 'estrelas e glamour' na capital alemã. Do Brasil estão presentes apenas quatro longas, um deles na mostra competitiva.

default

'O ano em que meus pais saíram de férias', do brasileiro Cao Hamburger

Já que Cannes costuma ignorar o cinema alemão, a Berlinale, como é chamado no país o festival de cinema que começa na próxima quinta-feira (08/02) em Berlim, faz as honras da casa, levando às telas nada menos que 60 filmes nacionais das 346 contribuições do festival.

Da mostra competitiva participa, por exemplo, o longa Yella, do diretor alemão Christian Petzold – a saga de uma mulher que vive no Leste do país e resolve trabalhar no Oeste, acima de tudo para fugir de uma relação amorosa em crise.

Presença brasileira

Outro destaque da competição é The Good Shepard, o segundo trabalho em direção de Robert de Niro, que conta a história de um estudante idealista da Universidade de Yale, nos EUA, que acaba sendo recrutado pelo serviço secreto durante a Segunda Guerra Mundial.

Da corrida pelo Urso de Ouro participam ainda o longa Goodbye Bafana, dirigido por Bille August, Ne touchez pas la hache, de Jacques Rivette, e a co-produção argentino-brasileira O ano em que meus pais saíram de férias, de Cao Hamburger.

Além do filme de Hamburger, que já foi exibido nos cinemas brasileiros e tem em Berlim sua estréia internacional, a Berlinale traz este ano o longa A Casa de Alice, de Chico Teixeira (mostra Panorama), Deserto Feliz, de Paulo Caldas (Panorama Especial) e Antônia, da cineasta Tata Amaral, na mostra de cinema juvenil Generation 14 plus.

Estréias mundiais

Plakat zur 57. Berlinale

Mais de 340 filmes em várias mostras

A mostra Panorama, um dos principais pilares do festival ao lado da competição e do Fórum do Jovem Cinema, exibe este ano 17 longas no ciclo principal, 16 na seção Panorama Especial e 17 na série Dokumente. Mais de 20 dos 50 filmes da seção têm sua estréia mundial em Berlim, sendo que sete deles são de diretores iniciantes.

O que remte a um procedimento comum no mercado cinematográfico: "guardar" um filme para estrear em Berlim, já que a Berlinale está entre os três maiores festivais do mundo (os chamados classe A), ao lado de Cannes e Veneza.

Além das fronteiras

Com o objetivo de reforçar produções franco-alemãs, o festival criou um júri independente, formado por sete jovens dos dois países, que deverá conceder o prêmio Diálogo em Perspectiva ao filme que melhor contribuir para as relações interculturais entre a Alemanha e a França.

Para além das fronteiras do cinema, a seção Fórum apresenta pela segunda vez na história da Berlinale uma mostra paralela de videoarte e filmes experimentais, com trabalhos que transitam entre o cinema e as artes plásticas. Do programa faz parte a exposição Além do Cinema: A Arte da Projeção, no museu de arte contemporânea Hamburger Bahnhof, além de um ciclo de debates.

Leia mais