1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Feira de Leipzig começa de cara nova

Um dos mais tradicionais eventos literários alemães abre as portas com novidades: de 17 a 20 de março, a Feira do Livro de Leipzig volta com nova premiação e atenta a conflitos políticos atuais e aos vizinhos do Leste.

default

Setor de literatura infanto-juvenil está entre os que mais crescem

A Feira do Livro de Leipzig começa nesta quinta-feira (17) de cara nova. Com mais de 2100 expositores de 30 países, o evento cresceu. Neste ano, são esperados 100 mil visitantes, atraídos pelos cerca de 1,5 mil eventos com mais de mil escritores convidados.

"Nossa posição no cenário europeu se consolidou", disse o diretor da feira, Wolfgang Marzin. Segundo ele, em 1990 a feira no Estado alemão da Saxônia começou a voltar a ser o que fora antigamente e, desde então, a cidade vem recuperando seu significado não apenas como importante centro editorial, mas como pólo de leitura. Além do mais, a feira conseguiu sair do vermelho em 2003 e a tendência é continuar melhorando.

Novidades, não só literárias

Ponto alto da programação deste ano será a entrega do Prêmio da Feira do Livro de Leipzig, que, a partir deste ano, substitui o antigo Prêmio do Livro alemão. Ao todo, serão distribuídos prêmios no valor de 45 mil euros para os melhores lançamentos do ano da literatura alemã nas categorias ficção, não-ficção e tradução, sendo que cada editora pôde sugerir três títulos por categoria.

O júri, do qual fazem parte críticos de jornais renomados como o Frankfurter Allgemeine Zeitung e o Süddeutsche Zeitung, nomeou os cinco melhores de cada categoria entre as 586 obras inscritas. Adicionalmente, o Prêmio para o Entendimento Europeu será entregue neste ano à escritora e jornalista croata Slavenka Drakulic, o que condiz com o destaque dado pela organização à literatura do Leste Europeu, em especial à região dos Bálcãs.

Para grandes e pequenos

Há 14 anos marcando presença paralelamente à feira, o Leipzig liest (Leipzig lê) oferece leituras, discussões e workshops com escritores de todo o mundo. Entre os convidados deste ano estão Amós Oz, Jostein Gaarder, Christoph Hein, Jorge Semprún e Walter Kempowski.

Friedrich von Schiller

Schiller não poderia faltar

No 200º aniversário de morte do escritor Friedrich Schiller, tampouco poderiam faltar eventos em homenagem ao poeta. Além de lançamentos de biografias e novas edições do clássico, haverá diversas apresentações teatrais de suas peças.

Outro destaque da programação é a literatura infanto-juvenil. Do total de 50 mil metros quadrados da feira, um quinto será dedicado a jovens e crianças, com uma área reservada especialmente aos mangás japoneses. "Somos um espelho do mercado e temos de reagir às novas tendências e novidades", argumenta Marzin.

Segundo o presidente da Associação do Comércio Livreiro Alemão, Dieter Schormann, o segmento é uma das grandes promessas do mercado, que vem lutando contra a estagnação. "Dos 100 mil visitantes esperados, um em cada cinco tem menos de 20 anos", conta.

Feira de Leipzig tem história

A Feira do Livro de Leipzig é um dos mais tradicionais eventos do gênero na Europa. Como importante centro comercial europeu, Leipzig se tornou já no final do século 15 um ponto de encontro de livreiros, tipógrafos e editores. Com 11 oficinas de impressão já em 1500, a cidade liderava a lista dos mais de 60 centros tipográficos alemães, fazendo séria concorrência à cidade de Frankfurt.

Messe Leipzig

O Pavilhão de Eventos de Leipzig

Mas o comércio livreiro local, que vivenciou um rápido crescimento após a Reforma, foi praticamente destruído durante a Guerra dos 30 anos (1618–1648), voltando a se recuperar só a partir da segunda metade do século 17, até que, em 1764, a cidade foi declarada capital do comércio livreiro.

Interrompida durante o período nazista, a feira tornou a acontecer em 1946. A partir de 1973, a feira deixou de acontecer duas vezes ao ano, passando a ser apenas anual. Nos anos da República Democrática Alemã (RDA), o número de expositores se restringia a uma média de mil. Em 1991, após a reunificação alemã, Leipzig voltou a sediar uma feira de caráter internacional.

Leia mais

Links externos