1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Ciência e Saúde

Família em Berlim testa casa autossuficiente em energia

A casa do futuro produz toda a energia que consome a partir da luz solar. A eletricidade necessária para aquecer a água e mover carros e bicicletas é produzida sem a emissão de CO2.

Prover a própria energia consumida foi durante muito tempo um sonho para o alemão Jörg Welke. Agora, isso é realidade e virou até hobby para o historiador. Quando se chega à casa-modelo que está sendo testada por ele e a família, a atenção se volta para uma tela sensível ao toque instalada no corredor.

"Este é o controle principal da casa, aqui podemos ligar a luz, subir e descer as persianas ou mesmo ligar a calefação", explica Welke, de 42 anos. Ele está testando a adequação da casa ao cotidiano de uma família juntamente com a esposa, Simone Wiechers, e dos filhos Freyja e Lenz.

A família ficou especialmente impressionada com a unidade de captação de energia solar no telhado, que também pode ser controlada. A pequena estação produz energia para a casa, aquece a água e abastece dois carros elétricos e duas bicicletas elétricas.

"É uma sensação muito boa porque andamos em carros que não emitem gases poluentes", afirma Welke. "Nós não recebemos energia de um fornecedor pela tomada, mas produzimos a energia que consumimos", ressalta.

Eficiência do gasto energético a apenas um toque da tela

Eficiência do gasto energético a apenas um toque da tela

O sistema fotovoltaico foi planejado para produzir 16.500 kWh ao ano – muito mais do que a família necessita em seu dia a dia. No apartamento em que moravam, o consumo anual era de 2.000 kWh. Mesmo abastecendo os carros elétricos, sobra energia. "Essa energia vai para uma bateria, que fica carregando", afirma Welke.

A bateria é um grande bloco cinza no jardim, feito com algumas dúzias de velhas baterias de carro. Com uma capacidade de 40 kWh, a função do bloco cinza é armazenar energia para ser usada à noite ou quando chove. "Isso nos torna de alguma maneira independentes das redes de transmissão".

Alta tecnologia para economizar energia

Mas, na prática, este "depósito" de energia ainda não está funcionando porque a bateria foi construída pela primeira vez e, por ter componentes de diversas empresas, estes ainda precisam ajustar-se uns aos outros.

Assim, a residência acaba não sendo uma perfeita casa do futuro. Mas isso não é problema para Lenz, de 8 anos, e Freyja, 12. Em seu blog na internet, Freyja fala de banhos diários de banheira aquecidos pela luz solar – mesmo que a mãe revele que não é bem assim.

Ela conta que agora a família agora consome energia de maneira mais despreocupada. "Antes, pensávamos bem se deveríamos encher a banheira para o banho. Agora, temos sempre essa boa sensação de que a água foi aquecida sem emissão de CO2".

Cercada por prédios altos antigos, mesmo o visual da casa de dois andares em estilo moderno, no centro de Berlim, é arrojado. Um dos lados da casa de dois andares é todo em vidro. Por trás dele, uma ampla e moderna sala com cozinha aberta e piso em madeira. A ideia é descobrir os problemas da moradia vivendo nela.

Jörg, a esposa e os filhos testam a Casa Eficiência há 15 meses

Jörg, a esposa e os filhos testam a Casa Eficiência há 15 meses

"Muita coisa em casa é automática, isso economiza energia", diz Welke. Sensores de movimento só acendem a luz quando alguém se aproxima. O funcionamento dos aparelhos pode ser programado, um bom isolamento e a ventilação coordenada através de uma central automática zelam por uma boa temperatura ambiente.

Muitas tomadas

Tomadas por toda a casa e fora dela carregam as baterias. Já a do carro tem uma tecnologia própria. O veículo fica estacionado em cima de uma placa de metal. "É um ímã, o outro pólo está dentro do carro", conta o proprietário, explicando que o veículo, assim, não precisa de cabo ou tomada para ser carregado. "Não preciso me preocupar, o carro simplesmente fica aí, estacionado, e pela manhã, quando eu preciso sair, ele está carregado de novo".

Agora, quando a família sai para passear, precisa se informar antes onde fica o posto de carregamento mais próximo. Outro desafio é como "abastecer" o carro quando se anda mais de 150 quilômetros, pois esta é a autonomia da bateria do veículo. Em um posto de carga convencional, ou seja, com tomadas de 230 volts, uma carga pode durar até nove horas.

Autor: Richard Fuchs (msa)
Revisão: Roselaine Wandscheer

Leia mais