1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Esporte

Falta de verba reduz transferências de jogadores

A redução do montante arrecadado com a venda dos direitos de transmissão dos jogos pela televisão alemã fez com que os clubes da Bundesliga diminuíssem as compras de reforços para a próxima temporada.

default

Zé Roberto trocou a camisa do Leverkusen (foto) pela do Bayern: transferência mais cara do ano

O dinheiro gasto em novas contratações totaliza cerca de 96,5 milhões de euros, uma queda de 35% em relação ao ano passado. E, a partir de agora, já não se espera mais nenhuma transação sensacional. Os movimentos concentram-se na contratação de jogadores com passe livre, por parte dos clubes de menor poder aquisitivo. Das 99 novas contratações realizadas até o momento, 56 foram de atletas com passe livre, o que constitui um recorde na Bundesliga.

Os clubes que mais gastaram na aquisição de novos jogadores foram o Bayer Leverkusen (25,7 milhões de euros) e o Bayern de Munique (24,5 milhões de euros). Em terceiro lugar está o Schalke, com 13,5 milhões de euros. O Borussia Dortmund, campeão da última temporada e que mais gastou com a renovação do plantel no ano passado, investiu este ano apenas dez milhões de euros, ficando em quarto lugar.

Os mais caros – As duas aquisições mais caras foram feitas pelo Bayern de Munique, comprando o passe de Zé Roberto ao Bayer Leverkusen e de Sebastian Deisler ao Hertha Berlim. Zé Roberto custou 9,5 milhões de euros aos cofres do Bayern. Para Deisler, o time muniquense teve de desembolsar 9 milhões de euros. No ano passado, o passe mais caro também foi muito além disto: o Borussia Dortmund teve de pagar então quase 26 milhões de euros por Márcio Amoroso.

O cofre vazio em relação ao ano passado é um fato em todos os clubes alemães. Mas ele é agravado ainda pela defasagem entre os cinco times principais e o restante da Bundesliga. Quanto melhor uma equipe, tanto maior a sua possibilidade de participar dos torneios europeus e, assim, de angariar mais fundos para a compra de novas estrelas, que melhoram ainda mais seu desempenho.

Dos 96,5 milhões de euros gastos até agora com a transferência de jogadores, quase 76 milhões de euros (ou seja, quase 80%) corresponderam às transações feitas pelo Bayern de Munique, Bayer Leverkusen, Schalke, Borussia Dortmund e Hertha Berlim.

Brasileiros – Entre os brasileiros na Alemanha, também houve movimentação. Paulo Sérgio deixou o Bayern de Munique, transferindo para os Emirados Árabes Unidos. O teuto-brasileiro Paulo Rink, que chegou a jogar pela Seleção da Alemanha, deixou o Nürnberg, mas ainda não fechou contrato com nenhum outro clube.

Duas novas aquisições brasileiras foram feitas pelo Bayer Leverkusen, que comprou o passe de França, do São Paulo (por 8,5 milhões de euros), e de Juan, do Flamengo (3,5 milhões de euros). Também o 1860 de Munique ganhou um reforço brasileiro, mas a contratação de Rodrigo Costa, do Grêmio de Porto Alegre, nada custou ao time bávaro, pois o jogador tinha o passe livre.