1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Falsificação de títulos de doutor também na Alemanha

Um grau acadêmico custa trabalho, tempo e nervos, ou simplesmente algumas notas de cem ou de mil euros. Escritores fantasmas, consultores científicos e "fábricas de títulos", as ofertas são variadas.

default

Comprar um título pode dar multa

Ainda sem título de doutor? É a pergunta de um decente anúncio de um grande jornal alemão. A página na internet com o nome "Doktormacher" (fazedor de doutores) promete: "O título de doutor é o coroamento da sua carreira, é o que faltava para você alcançar respeito e reconhecimento na sociedade. E quem não quiser desperdiçar para isso preciosos anos de sua vida, encontra a solução junto aos escritores fantasmas ( ghost writers) ou consultorias para trabalhos científicos. Os preços dos trabalhos são informados na página.

Títulos absurdos

A Universidade de Mave, nas Ilhas Virgens, uma dependência dos Estados Unidos no Mar das Caraíbas, concede títulos de doutor sem trabalho ou provas. São necessários apenas experiência de vida e cerca de 700 dólares.

Na Academia Scientia Church, do Estado norte-americano de Nevada, o título de Doutor em Ciências Religiosas – Dr.h.c.relig.hu. – custa 200 dólares. Por 250, é possível obter o título de Doutor da Imortalidade, com direito a chapéu de colação de grau e gravata.

Instituições como essa encontram seu lugar perfeito nos Estados Unidos, principalmente devido à falta de clareza jurídica no país. As licenças para os estabelecimentos de ensino são concedidas pelos Estados. O Canyon College, em Idaho, por exemplo, não é licenciado como instituição de ensino, mas é completamente legal, desde que não venda diplomas a cidadãos do Estado de Idaho.

Certificados sem valor

As autoridades alemãs já conhecem, e muito bem, essas "fábricas de títulos". Quem quer o reconhecimento de um título assim, não tem a menor chance. Holger Conrad, da Conferência Permanente de Secretários da Educação, se admira dos documentos que passam por suas mãos. "Na maioria dos casos, os títulos são absurdos. Por que alguém paga tanto dinheiro para um certificado que ele mesmo poderia ter feito?"

Houve mudanças na legislação alemã que eliminaram a obrigatoriedade do controle de títulos estrangeiros. Desta forma, só são analisados os títulos denunciados por outros. Se esta liberdade irá estimular o comércio de títulos, ainda não se sabe.

O mercado na Alemanha

Vorlesungsbeginn an der Universität Leipzig

Aula numa universidade alemã

Nas próprias universidades alemãs, há casos de títulos fabricados. Kristijan Domiter, da Associação das Escolas Superiores Alemãs, acredita que, dos 23 mil títulos de doutor concedidos em 2003, 1% foi comprado. Os vendedores são conhecidos como "ajudantes de doutorandos" ou "consultores científicos". Com somas que chegam a dezenas de milhares de euros, Domiter supõe que esses trabalhos envolvam muito mais do que a simples ajuda para a pesquisa bibliográfica, estruturação da tese ou a busca do orientador adequado.

Porém é muito difícil provar a ilegalidade desses títulos. E os escritores fantasmas protegem-se diante da lei com o argumento de que os textos científicos que oferecem "servem para simples informação pessoal". Quem, apesar disso, for descoberto usando um título falso, está sujeito a uma multa, adverte Conrad Domiter.

Já o vendedor pode ser preso. O Tribunal de Berlim, por exemplo, condenou a cinco anos de prisão um homem que já havia juntado mais de um milhão de euros com este tipo de negócio.

MBA para um gato

Katze geniesst die Sonne auf einem Auto

Master of Business Administration?

Um exemplo do Texas mostra até onde a descuidada concessão de títulos acadêmicos pode chegar: lá, uma universidade virtual concedeu um título de Master of Business Administration, por 399 dólares, a um gato. Azar somente para o vendedor: o gato pertencia ao procurador-geral do Estado da Pensilvânia, Jarry Pappert – um crítico ferrenho às "fábricas de títulos".

Leia mais