1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Falha impede aviões alemães de sobrevoar a Síria à noite

Defeito gera iluminação exagerada no cockpit das aeronaves de reconhecimento Tornado, o que pode dificultar a identificação de alvos. Ministério da Defesa afirma que problema não prejudica combate ao "Estado Islâmico".

Aviões alemães de reconhecimento Tornado enviados à Síria para auxiliar no combate ao grupo extremista "Estado Islâmico (EI) não podem voar à noite devido à iluminação intensa no cockpit, confirmou nesta terça-feira (19/01) o Ministério alemão da Defesa.

A falha foi divulgada pelo jornal alemão Bild. Segundo informações do periódico, o problema foi causado por uma atualização de um software. O defeito faz com que o cockpit fique mais iluminado, provocando reflexos nos óculos para voo noturno. Isso pode atrapalhar o piloto durante a decolagem e a aterrissagem, além de dificultar a identificação de alvos para o reconhecimento.

"É uma deficiência conhecida por nós e deveria ser corrigida em outubro. Agora, no entanto, isso deve ocorrer in loco, em Incirlik, já no início de fevereiro", afirmou um porta-voz da Força Aérea alemã, acrescentando que as aeronaves não precisam ser trocadas.

O Ministério da Defesa ressaltou ainda que a participação alemã na luta contra o grupo terrorista não será prejudicada e reforçou que, até o momento, os alemães não precisaram realizar voos de reconhecimento noturnos. De qualquer maneira, o sistema utilizado pelos Tornados para captar imagens de alta resolução funciona melhor de dia, disse o porta-voz.

Desde o início do ano, a Bundeswehr (Forças Armadas alemãs) participa do combate ao EI com o emprego dos Tornados para voos de reconhecimento sobre a Síria. Apesar de fazer parte da coalizão internacional contra o "Estado Islâmico", a Alemanha não realiza bombardeios.

O governo alemão decidiu aumentar a sua participação no combate aos extremistas em novembro, após os ataques terroristas em Paris que mataram 130 pessoas. Além das aeronaves de reconhecimento, o país disponibilizou um avião de reabastecimento e um navio de guerra. Há um ano, os alemães também treinam as forças curdas peshmerga, no norte do Iraque.

CN/rtr/dpa/afp

Leia mais