Falha de controle em Munique reabre debate sobre segurança em aeroportos alemães | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 21.01.2010
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Falha de controle em Munique reabre debate sobre segurança em aeroportos alemães

Ministro do Interior qualifica o incidente de sério e ordena investigação detalhada. Polícia reclama de pressão no trabalho e baixos salários. Mais de 24 horas depois, o suspeito ainda não foi identificado.

default

Milhares de pessoas foram afetadas pelo incidente

A recente falha no controle de passageiros no Aeroporto de Munique, o segundo maior da Alemanha, desencadeou nesta quinta-feira (21/01) um novo debate sobre a segurança nos aeroportos alemães.

O ministro alemão do Interior, Thomas de Maizière, disse que leva o incidente muito a sério. "Determinei que todas as circunstâncias desse caso sejam detalhadamente investigadas com todos os envolvidos", declarou à rádio Deutschlandfunk.

O ministro também resgatou o tema do uso de escaneadores em aeroportos. Segundo ele, uma ideia avaliada pelo governo alemão é dar ao passageiro a opção entre submeter-se a um controle mais rápido por escaneador ou a uma revista mais demorada feita por funcionários da segurança.

Já o Sindicato da Polícia (GdP, na sigla em alemão) criticou as condições de trabalho dos funcionários que controlam a segurança nos aeroportos, afirmando que eles trabalham sob constante pressão e são mal pagos.

O presidente do sindicato, Josef Scheuring, declarou ao canal de televisão N24 que as condições de trabalho se tornaram cada vez piores nos últimos anos. "Hoje temos a seguinte situação: salários de 7,50 ou até 10, 11 euros por hora – absolutamente baixos – e uma tremenda pressão sobre os funcionários."

Mas o governo da Alta Baviera, responsável pelo controle do aeroporto, declarou que a empresa SGM, que faz a segurança no Aeroporto de Munique, é de propriedade do estado da Baviera e que os funcionários são pagos de acordo com a tarifa do funcionalismo público, mais elevada.

Suspeito ainda não identificado

Na quarta-feira, a Polícia Federal da Alemanha fechou parte do Terminal 2 do Aeroporto de Munique por cerca de três horas, após o alarme do sistema de detecção de explosivos ter soado durante o controle de um laptop. O atraso ou mesmo o cancelamento de voos prejudicaram cerca de 12 mil passageiros.

Mais de 24 horas depois de ocorrido o incidente, algumas questões ainda continuavam sem resposta. A polícia não conseguiu identificar o passageiro que portava o laptop e não sabe se de fato havia explosivos no computador. Também não se sabe para onde o suspeito foi.

O mais provável, admite a polícia, é que se trate de um passageiro atrasado que nem mesmo se deu conta do problema que causou. O alarme pode ter soado por causa de um perfume, diz a polícia, e não necessariamente por causa de explosivos.

Dois erros de segurança

O homem, de aproximadamente 50 anos e que não falava alemão, passou pelo controle de segurança às 14h38. O suspeito foi descrito pela polícia como sendo "o típico homem de negócios atrasado para pegar um voo".

Ele teria perguntado em inglês sobre um voo e conversado com outro passageiro, enquanto vestia seu paletó e cachecol, após o controle. Então ele pegou o laptop e saiu "caminhando tranquilamente", segundo o presidente regional da Alta Baviera, Christoph Hillenbrand.

Nesse momento teria ocorrido a primeira falha de segurança. A funcionária que controlava o sistema de raio-X encarregou um colega de inspecionar o laptop, o que está de acordo com as normas de segurança. Mas enquanto este preparava uma substância química para o teste, a funcionária continuou operando o raio-X – e o passageiro suspeito, deixado livre, simplesmente pegou o computador e foi embora.

O próximo erro da funcionária ocorreu logo em seguida, disse Hillebrand. Em vez de avisar imediatamente a polícia, ela só foi fazê-lo às 14h49, dando tempo de sobra para o suspeito sumir e até mesmo pegar um avião. Às 15h10 a polícia ordenou o fechamento parcial do aeroporto.

AS/afp/ap/dpa

Revisão: Carlos Albuquerque

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados