1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Falha da central de controle pode ter causado colisão do Transrapid

Promotoria Pública suspeita que funcionários da central de controle erraram, antes de liberar a partida do trem de suspensão magnética, que colidiu com veículo de manutenção e matou 23 pessoas.

default

Imagem aéra do que sobrou do trem

Os dois funcionários da central de controle do trecho de testes do Transrapid, em Lathen (Baixa Saxônia) teriam de se certificar pessoalmente de que o veículo de manutenção não se encontrava mais nos trilhos, antes de autorizar a partida do trem, disse o promotor público Alexander Retemeyer, neste sábado (23/09).

O trem de suspensão magnética colidiu na sexta-feira (22/09) com um veículo de manutenção, matando 23 pessoas e ferindo outras dez. Segundo Retemeyer, o estacionamento do veículo de manutenção é visível da central de controle.

Apesar disso, tudo indica que os funcionários pensaram que ele não se encontrava mais nos trilhos. Sem a autorização da central de controle, o Transrapid não poderia ter partido, explicou o promotor.

"Não houve controle técnico do veículo de manutenção nem vigilância por câmera de vídeo no local do acidente. Temos de partir do princípio de que houve pouca segurança técnica no trecho. A posição do veículo de limpeza só podia ser aferida por radiocomunicador, mas não houve contato", disse Retemeyer.

"Investigação profunda"

Wolfgang Tiefensee

Tiefensee: contra conclusões precipitadas

O ministro alemão dos Transportes, Wolfgang Tiefensee, visitou o local do acidente neste sábado e anunciou uma "investigação profunda" das circunstâncias da tragédia. "Precisamos apurar se o esquema de segurança era suficiente e se foi seguido", disse.

Tiefensee advertiu que, antes da conclusão do inquérito, não se deve tirar conclusões precipitadas sobre o futuro da tecnologia do Transrapid, que a Alemanha exporta para a China e pretende implantar no próprio país.

A Promotoria Pública de Osnabrück informou que dos 23 mortos dois são cidadãos norte-americanos. A maioria dos 31 passageiros era de Nordhorn (comarca de Bentheim) e Papenburg (comarca de Emsland).

Até o meio-dia deste sábado, apenas seis vítimas haviam sido identificadas. Retemeyer anunciou que a identificação dos demais será feita por teste de DNA e poderá demorar dias. Os dez feridos não estariam mais correndo risco de morte. Alguns já ganharam alta dos hospitais e começaram a ser interrogados.

Equipes de resgate e investigadores estiveram no local do acidente neste sábado, coletando material para análise das causas do acidente. O trem destruído, por enquanto, permanecerá nos trilhos, disse um porta-voz da comarca de Emsland.

Um dia após a tragédia, o choque deu lugar ao luto na região de Emsland. "Muitos parentes estão como que anestesiados. As vezes, só precisamos de alguém que lhes diga que eles não estão sozinhos", disse o porta-voz da polícia, Ludger Pietruschka.

Na próxima quarta-feira (27/09), haverá um culto ecumênico na igreja de Lathen para as equipes de socorro e resgate e a população local. O governado da Baixa Saxônia, Christian Wulf, também confirmou presença.

Leia mais