Facebook impõe linha do tempo para todos | Novidades da ciência para melhorar a qualidade de vida | DW | 30.03.2012
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Ciência e Saúde

Facebook impõe linha do tempo para todos

A nova linha do tempo do Facebook vai se tornar obrigatória para Fanpages. A DW já tem o novo perfil. Mas o que é bom para empresas, preocupa os usuários privados: para muitos, a visão completa da Timeline é assustadora.

O novo formato de linha do tempo foi anunciado pelo Facebook em setembro de 2011 e foi disponibilizada aos usuários a partir do início do ano. Trata-se de uma nova versão do perfil do usuário, e ela se tornará obrigatória para todos: quer dizer, para os 850 milhões de usuários da comunidade do Facebook.

A Timeline vale não apenas para os usuários privados, mas também para as chamadas Fanpages - páginas de organizações, assim como a Deutsche Welle, que possui Fanpages no Facebook em vários idiomas. E agora a nova página do Facebook da DW Brasil já está de cara nova.

USA Facebook Konferenz mit Mark Zuckerberg in San Francisco

Mark Zuckerberg anunciou mudanças em setembro de 2011

Na linha do tempo, o Facebook coleta todas as informações que o usuário postou no Facebook desde que entrou na rede social. Quem quiser, tem inclusive a possibilidade de acrescentar eventos importantes de sua vida antes do Facebook. Por exemplo, o nascimento do primeiro filho, as melhores férias e assim por diante.

"Cada usuário é seu próprio mestre"

Para os críticos, agora acaba definitivamente a privacidade. Outros dizem que não é bem assim, já que o Facebook só publica aquilo que a pessoa divulga voluntariamente.

Essa é a opinião do cientista de mídia alemão Philipp Roth. Em seu blog allfacebook.de ele escreve: "Cada usuário é seu próprio mestre. A apresentação dos pontos pode ser configurada, e também pode ser definido que mensagens mostrar. Você tem o controle sobre tudo, e o Facebook faz o que você quer."

Empresas e organizações já utilizam o novo perfil com grande entusiasmo. A grande imagem de capa já trás benefícios. As janelas individuais são maiores e chamam mais atenção. Bom para mensagens de marketing.

A DW vai usar a linha do tempo não só para publicar seu conteúdo, mas também vai incluir seus quase 60 anos de história na Timeline. Assim os fãs da DW terão acesso a dados importantes da história alemã – um livro de história digital e gratuito.

Dezenas de milhares de usuários já ativaram o novo perfil nas últimas semanas. As novas atualizações acontecem aos poucos. O Facebook informa de antemão: o usuário pode visualizar a nova página antes de publicá-la. Quem postou fotos embaraçosas de festas nos anos anteriores pode ocultá-las, assim como marcadores de local.

É preciso lembrar que as informações não são deletadas, porque as postagens nunca desaparecem completamente do banco de dados do Facebook, elas são apenas ocultas.

Facebooks Chronik Ansicht in Deutschland gestartet

Na Alemanha, novos termos de uso do Facebook causaram irritação entre os defensores da privacidade

Críticos como o especialista em privacidade Edgar Wagner acusam o Facebook de "explorar a vida privada". "Para mim, o Facebook é uma ameaça", opina ele sobre a publicação de fotos que já desapareceram do Facebook há muito tempo.

Mudança nos termos

O Facebook anunciou a linha do tempo com antecedência e para que os usuários possam se acostumar. Menos divulgadas entretanto são as novas configurações e condições de uso. A rede social alterou mais uma vez os termos de uso – mais ou menos secretamente.

Aqueles que perceberam as mudanças foram informados que, ao continuar usando o Facebook, eles automaticamente concordam com as novas condições de uso. Significa que o usuário não teve sequer a opção de marcar a opção "concordo" em algum lugar.

O Facebook deu aos usuários sete dias para discutir os novos termos. Infelizmente não foi tão simples encontrar o fórum, de modo que foi postada apenas uma centena de comentários. E isso naturalmente não basta para fazer o criador da rede social, Mark Zuckerberg, mudar de ideia. Nem com um comentário como este, postado na página de governança do Facebook: "Querido Facebook! Se vocês vão se apropriar, explorar e vendes as minhas informações pessoais, vocês deveriam pelo menos 1) me perguntar com muito carinho; 2) me pagar por isso e 3) me dar a possibilidade de dizer 'não'."

Nova política de privacidade

Falando honestamente: a menos que você seja um jurista, dificilmente vai ler os termos de uso em detalhe. E só observadores meticulosos vão perceber que pequenas mudanças foram feitas. Pequenas, mas com grande efeito.

Protest gegen Alkoholverbot in der Londoner Tube

Nem todas as fotos podem ser resgatadas pelos usuários

A expressão "política de privacidade" foi transformada em "política de uso de dados". Parece a mesma coisa, mas significa que o Facebook nem faz de conta que se preocupa em proteger os dados pessoais dos usuários. Ele admite que as informações são utilizadas.

Na Alemanha, isso causou furor entre os defensores da privacidade. O diretor do Centro Independente de Proteção de Privacidade, Thilo Weichert, acredita que as novas políticas do Facebook não são compatíveis com leis de privacidade alemães nem europeias. "O processo eficaz de consentimento do usuário falha especialmente no esclarecimento sobre o processamento dos dados e a falta de possibilidade dos interessados em proibir o uso de seus dados pessoais para fins publicitários."

Mas na central do Facebook, na Califórnia, os executivos simplesmente dão de ombros. Lá valem as leis norte-americanas, onde é comum que dados pessoais sejam armazenados e processados de alguma forma.

Autor: Nils Naumann (ff)
Revisão: Roselaine Wandscheer

Leia mais

Links externos