Fábrica de chip transgride lei ambiental, diz UE | Notícias e análises sobre a economia brasileira e mundial | DW | 23.04.2002
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Fábrica de chip transgride lei ambiental, diz UE

Comissão Européia adverte governo alemão a mudar projeto que prevê investimento de 1,5 bilhão de euros e geração de 1.300 empregos.

A construção de uma fábrica de chip em Frankfurt do Oder (leste alemão) transgride a legislação ambiental européia. Segundo informações do jornal Berliner Zeitung, a comissária de Meio Ambiente da UE, Margot Wallström, enviou uma carta de advertência ao governo alemão, exigindo correções no plano da obra.

A prefeitura de Frankfurt do Oder, a construtora de fábricas de chips Communicant e a Secretaria Estadual de Finanças de Brandemburgo garantem, porém, que o projeto é compatível com as leis de meio ambiente da Alemanha. "Partimos do princípio de que a as objeções serão derrubadas", disse o porta-voz da secretaria, Dirk Reitemeier.

O Ministério da Agricultura ainda está elaborando uma resposta à advertência recebida de Bruxelas. Segundo a UE, o projeto fere a legislação sobre o controle de riscos decorrentes do processamento de substâncias perigosas. Além disso, a Comissão Européia criticou falhas no estudo de impacto ambiental.

Subsídios - A construção da fábrica de chips envolve investimentos de aproximadamente 1,5 bilhão de euros, dos quais € 353 milhões virão dos cofres públicos alemães. O restante é coberto pela Intel, o Emirado de Dubai e pela empresa Jenoptik.

Em função dos subsídios oficiais previstos, o projeto depende de aprovação pela Comissão de Competitividade da UE. A fábrica deve começar a produzir em meados de 2003 e gerar 1.300 empregos diretos.

Leia mais