1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Extrema direita quer chegar ao parlamento

Em convenção realizada na Turíngia, o Partido Nacional Democrático da Alemanha (NPD) consolida pacto com a União Popular Alemã (DVU) com vistas ao Bundestag e ao Parlamento Euroepeu.

default

'Trabalho – Família – Pátria': lemas da convenção do NPD

Enquanto um punhado de manifestantes protestava nas ruas contra os extremistas de direita, o Partido Nacional Democrático da Alemanha (NPD) alinhavava a portas fechadas, na convenção realizada neste fim de semana na cidadezinha de Leinefelde, na Turíngia, sua estratégia para chegar ao Bundestag nas eleições parlamentares de 2006. A meta ambiciosa, embalada pelo sucesso da extrema direita nas recentes eleições estaduais na Saxônia e em Brandemburgo, inclui também o pleito para o Parlamento Europeu em 2009.

Juntando forças

A estratégia ofensiva do partido ficou patente na eleição, pela primeira vez, de um neonazista para o diretório: Thorsten Heise, líder influente dos chamados "grupos livres de camaradas". Originário da Baixa Saxônia, Heise, que já foi condenado por lesão corporal, atua também na Turíngia. Sua eleição demonstra o desejo do NPD de aglomerar os grupos neonazistas independentes. Autoridades de segurança calculam que cerca de 170 desses "grupos de camaradas", com 3000 ativistas, podem aproximar-se desta forma do NPD.

Wahlplakate der DVU und der NPD

Trabalho é um tema recorrente dos dois partidos, aqui em cartazes para a eleição parlamentar de 1998

No encerramento da convenção, o presidente reeleito Udo Voigt, à frente do NPD desde 1996, e o presidente da União Popular Alemã (DVU), Gerhard Frey, anunciaram a formação de uma aliança, com base "numa parceria em condições de absoluta igualdade", tendo em vista concorrer às eleições parlamentares. Além disso, o NPD enviou sinais claros aos Republicanos, igualmente de extrema direita, conclamando-os a uma cooperação. Voigt lançou como grito de guerra o lema de uma "frente popular da direita".

Segundo o pacto fechado por NPD e DVU, ambos os partidos continuarão tendo existências independentes, mas juntarão suas forças em listas conjuntas para concorrer às eleições. No pleito para o Bundestag, em 2006, a lista será liderada pelo NPD, nas eleições para o Parlamento Europeu, em 2009, pela DVU.

A parceria entre os dois partidos não é isenta de tensões, mas ambos acreditam lucrar com a aliança. Gerhard Frey, da DVU, declarou que as diferenças não lhe interessam. Os dois partidos se complementam, disse em Leinefelde, e o importante é conseguirem em eleições futuras o mesmo sucesso que na Saxônia (9,2% dos votos para o NPD) e em Brandemburgo (6,1% para a DVU).

Histórico do NPD

Fundado em 1964, o NPD aglomera há 40 anos extremistas de direita. Entre 1966 e 1968, o partido foi eleito para sete assembléias legislativas estaduais. Na eleição para o parlamento federal em 1969, fracassou por pouco: obteve 4,3% dos votos, sendo que o mínimo necessário para um partido ser eleito é 5%. A eleição de setembro na Saxônia permitiu pela primeira vez desde 1968 o retorno a uma assembléia legislativa.

Segundo estimativas do Serviço de Defesa da Constituição, o NPD conta 5000 afiliados. Um processo para sua proibição, perante o Tribunal Constitucional Federal, fracassou em 2003. Meta do partido, ao qual o serviço secreto atesta analogia com o nazismo, é a "restauração do Reich alemão".

Leia mais