1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Extrema direita avança na Holanda

Na Holanda, os partidos governamentais sofreram clara derrota nas eleições municipais. O partido do extremista Pim Fortuyn saiu vitorioso em Roterdã.

default

O direitista Pim Fortuyn recebeu apoio inusitado em Roterdã

Roterdã é a segunda maior cidade da Holanda. O Partido Leefbaar Rotterdam (Vida Digna Roterdã) de Pim Fortuyn conquistou 17 dos 45 mandatos da Câmara Municipal, derrotando os social-democratas (PvA) que, pela primeira vez em 40 anos, caíram para o segundo lugar. Eles perderam 4 cadeiras e terão apenas 11 vereadores.

Não apenas em Roterdã, mas em outras cidades e municípios holandeses, o Leefbaar e partidos locais registraram forte crescimento. No total, eles ficaram com 26% do eleitorado, suplantando os democrata-cristãos (CDA) como principal foça política (20,5%).

Ódio aos muçulmanos – Durante a campanha eleitoral houve vários protestos contra Pim Fortuyn, que foi comparado ao também populista austríaco Jörg Haider. O eleitorado do extremista holandês é na sua maioria jovem, do sexo masculino e de baixa qualificação profissional.

Fortuyn aproveitou-se sobretudo do aumento da criminalidade nas grandes cidades holandesas para defender a ordem e o estado de direito. Após os atentados terroristas de 11 de setembro, ele lançou regularmente tiradas de ódio contra a comunidade muçulmana. Além da segurança, sua plataforma populista priorizou o problema da imigração.

Fortuyn não poupou ataques contra o primeiro-ministro holandês Wim Kok, culpando os social-democratas holandeses, que estão há doze anos no poder, de não terem controlado o alto desemprego.

Homossexualismo e discriminação – Apesar de assumir publicamente seu homossexualismo, Pim Fortuyn propôs, em fevereiro, que fosse anulado o artigo da constituição holandesa que proíbe qualquer tipo de discriminação. Isto causou mal-estar na cúpula do partido Leefbaar Nederland (Vida Digna Holanda), que retirou o nome de Fortuyn da lista nacional.

Fortuyn decidiu então candidatar-se às eleições parlamentares de maio próximo por conta própria. Segundo as sondagens, ele poderá conseguir 12,5% dos votos.

Links externos