Exposição resgata registros do ″outro lado″ do Muro de Berlim | Cultura europeia, dos clássicos da arte a novas tendências | DW | 06.08.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Exposição resgata registros do "outro lado" do Muro de Berlim

Mostra na capital alemã marca o cinquentenário da construção do muro que dividia a cidade. As fotos, encontradas por acaso em um arquivo militar, documentam toda a extensão do muro no lado oriental.

default

Mostra registra Muro de Berlim visto a partir do lado oriental

Para muitos jovens ainda é difícil entender que entre 1961 e 1989 Berlim Ocidental era uma ilha: um pedaço de cidade, cercado por um muro e Alemanha Oriental por todos os lados. Na memória coletiva, o Muro de Berlim é uma estrutura de concreto coberta por pintura e grafite, mas esse é só um lado da história.

Para comemorar os 50 anos da construção do muro, a exposição e o livro Aus anderer Sicht – Die frühe Berliner Mauer ( De outro ponto de vista – O início do Muro de Berlim) mostram o muro de um ponto de vista inédito: o de Berlim Oriental para Berlim Ocidental. As fotos mapeiam toda a extensão do muro que cortava a cidade a partir da perspectiva de quem o construiu.

História esquecida

A exposição é resultado de uma descoberta que a curadora Annett Gröschner, nascida em Magdeburg, na antiga Alemanha Oriental, e o fotógrafo Arwed Messmer, nascido no lado ocidental, fizeram nos arquivos militares em Potsdam, cidade situada nas proximidades de Berlim, durante os anos 1990, enquanto trabalhavam em um projeto para o Museu do bairro berlinense Prezlauer Berg. “Estava à procura de fotos da Gleimstrasse, uma rua cortada pelo muro, e me deparei com uma caixa cheia de negativos. Usamos algumas das fotos e não percebemos o tesouro que havíamos achado” declarou o fotógrafo.

Deutschland Ausstellung Aus anderer Sicht Die frühe Berliner Mauer in Berlin

Fotos em grande formato acompanham os 43,7km do muro que cortava a cidade

Em 2008, Messmer trabalhou em uma exposição na Berlinische Galerie, que exibia fotos em grande formato da cidade, feitas após o fim da Segunda Guerra, com o intuito de planejar a reconstrução da cidade destruída. “Comecei a perceber paralelos entre as fotos da exposição e as que havíamos encontrado em Potsdam. Fiquei fascinado com a ideia de essas fotos terem sido feitas por fotógrafos desconhecidos e seu uso ser de caráter administrativo e militar” completou.

Os negativos foram digitalizados e restaurados por Messmer. O resultado são as 340 reproduções em grande formato que compõem a exposição. Algumas das fotos são acompanhadas pelos registros feitos pelos guardas do lado oriental, que protocolavam tudo o que era dito pelos moradores do lado ocidental durante o período de construção do muro. "Aí do seu lado está tão frio quanto aqui?" ou "passem para o lado de cá. Temos belas mulheres para vocês. E vocês ainda ganham um carro" são alguns dos exemplos daquilo que os organizadores da mostra descrevem como "comunicação unilateral".

Imagens guardadas

Em 1966, os soldados que patrulhavam o lado oriental da fronteira fotografaram os 43,7 km do muro que cortavam a cidade, do bairro de Treptow no sul até Pankow no norte, com o objetivo de documentar a má condição em alguns pontos da divisa com o ocidente. As mais de mil fotografias foram reveladas na época e os negativos provavelmente mantidos em segredo até o fim do regime comunista. Fotografar o muro era extremamente proibido do lado oriental e quem se arriscasse estava sujeito a severas punições. Com o fim do regime os negativos foram provavelmente esquecidos.

Deutschland Ausstellung Aus anderer Sicht Die frühe Berliner Mauer in Berlin

Fotografar o muro era extremamente proibido na antiga Berlim Oriental

Das áreas mais afastadas até o centro, na Potsdamerplatz, pode-se observar que o muro ainda era irregular e em muitos lugares quase provisório. Em determinadas áreas era formado por cercas, tapumes de madeira e antigas ruínas e isolado por longas extensões de arame ou valas. Do outro lado é possível ver, às vezes sem muita nitidez, Berlim Ocidental, com seus antigos prédios ainda deteriorados e novos recém-construídos.

Para completar as informações sobre o universo do muro no lado oriental a exposição conta não só com as imagens panorâmicas, mas também com outras fotos, textos e desenhos encontrados nos arquivos. Algumas das fotografias registram fugas ou tentativas de fuga que acabaram em morte, além de soldados condecorados pelo seu trabalho na fronteira e fotos das torres de controle, construídas aleatoriamente com diversos materiais e quase sem nenhum planejamento, o que tornava cada uma delas única.

Para Annett Gröschner e Arwed Messmer o objetivo central da exposição é oferecer outra perspectiva sobre o Muro de Berlim, esta obra arquitetônica que representa uma cicatriz na história do século 20.

A exposição Aus anderer Sicht – Die frühe Berliner Mauer fica aberta ao público em Berlim até o dia 3 de outubro próximo.

Autor: Marco Sanchez
Revisão: Soraia Vilela

Leia mais