Exportações alemãs têm maior alta dos últimos 36 anos | Notícias e análises sobre a economia brasileira e mundial | DW | 11.02.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Exportações alemãs têm maior alta dos últimos 36 anos

Após obterem o maior crescimento em exportações dos últimos 36 anos, os alemães querem chegar à marca do um bilhão de euros em vendas ao exterior. Emergentes são principais responsáveis por aumento da demanda.

default

Vendas ao exterior podem atingir 1 bilhão de euros em 2011

Em 2010, as exportações alemãs cresceram 18,5%, somando 952 bilhões de euros. No maior crescimento desde 1974, ano em que foi registrada uma alta de 29,3% nas vendas ao exterior. "A Alemanha se beneficiou principalmente da recuperação e da dinâmica nos países emergentes", diz Anton Börner, presidente da Confederação Alemã de Comércio Exterior e Prestação de Serviços (BGA).

O salto de exportação foi provocado principalmente pela forte demanda de países de fora da União Europeia, como China, Brasil e Índia. Para os mercados emergentes, as exportações aumentaram em 26%, enquanto as exportações para países da UE subiram apenas 12,7%.

Mercados asiáticos têm forte demanda

Os especialistas estimam para este ano ainda uma forte demanda dos asiáticos. "Pode haver também forte demanda da maior economia mundial, os EUA", prevê o analista do Citigroup, Jürgen Michels. A Europa, entretanto, deve continuar um mercado difícil para os exportadores. "Isso se deve à crise, que fez com que muitos países lançassem rígidos programas de austeridade", afirmou Michels.

O presidente da BGA, Anton Börner, espera para este ano um crescimento das exportações de apenas 7%, porque em muitos países os programas de ajuda à conjuntura estão acabando, e a crise provavelmente fará com que a demanda nos países da zona do euro continue fraca.

Volkswagenwerk Wolfsburg

Indústria alemã continua competitiva no mercado mundial

Apesar disso, a meta é que a Alemanha consiga quebrar, pela primeira vez, a marca do um bilhão de euros em exportações. Em 2008, a barreira quase foi alcançada, quando foram contabilizadas vendas ao exterior somando 984 milhões de euros.

Importações tiveram maior alta dos últimos 10 anos

As importações aumentaram 20% em 2010, indo para cerca de 798 bilhões de euros, crescendo mais rápido do que as importações. A última vez em que houve alta parecida das importações foi em 2000, com 21% de crescimento.

Com isso, há um superávit na balança comercial alemã de mais de 154 bilhões de euros. Em 2009, a diferença entre as exportações e importações foi de quase 139 bilhões de euros. "A economia alemã se recuperou da crise mais rapidamente do que outros países e está quase já a pleno vapor", comemorou o ministro alemão da Economia, Rainer Brüderle.

Produtos made in Germany seguem requisitados

Seja por carros, maquinários pesados ou produtos químicos, a demanda mundial por mercadorias made in Germany continua grande. Embora seja improvável que a Alemanha reconquiste o posto de maior exportador do mundo, perdido para a China em 2010, a importância da maior economia da Europa continua sendo considerada indiscutível por especialsitas.

O economista Raghuram Rajan, ex-economista chefe do FMI, defendeu recentemente a Alemanha na revista de economia Wirtschaftswoche contra críticas aos altos superávits do país. “As empresas alemãs são muito competitivas. Criticá-las é uma bobagem”, argumentou. “A Alemanha gera superávits, porque tem limitado os aumentos salariais e tornado sua economia mais flexível. Esse exemplo deveria ser seguido pelos outros países”, alertou o analista.

MD/dpa/rtrs

Revisão: Soraia Vilela

Leia mais