Explosão de carro-bomba deixa dois mortos na Turquia | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 05.01.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Explosão de carro-bomba deixa dois mortos na Turquia

Ataque diante de tribunal na cidade de Izmir, a terceira maior do país, resulta na morte de policial e funcionário. Dois suspeitos de participação no incidente são mortos pela polícia, que busca um terceiro envolvido.

Tiroteio entre suspeitos e policiais começou após a explosão

Tiroteio entre suspeitos e policiais começou após a explosão

A explosão de um carro-bomba perto de um tribunal na cidade de Izmir, na Turquia, deixou ao menos dois mortos nesta quinta-feira (05/01) – um policial e um funcionário do tribunal. Segundo a agência de notícias Reuters, ao menos dez feridos foram hospitalizados.

A agência estatal de notícias Anadolu informou que policiais mataram a tiros dois suspeitos de envolvimento no ataque. Um terceiro suspeito, que segundo informações vestia uma jaqueta preta e uma boina branca, ainda está sendo procurado pela polícia.

Leia mais - Cronologia: ataques à Turquia em 2016

O tiroteio entre três suspeitos e os policiais começou logo após a explosão, próxima a uma entrada do tribunal usada por juízes e promotores. Várias ambulâncias e viaturas policiais foram deslocadas até o local. Imagens das emissoras de televisão locais mostravam chamas e nuvens de fumaça.

O governador de Izmir disse que primeiras evidências indicam que o ataque teria sido perpetrado por membros do banido Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), considerado por Ancara como uma organização terrorista. Ele afirmou que a policia realizou uma explosão controlada de um segundo veículo utilizado pelos agressores.

Izmir, a terceira maior cidade da Turquia, vinha sendo poupada da onda de ataques terroristas no país. O incidente desta quinta-feira ocorre dias após o ataque a uma casa noturna em Istambul durante o réveillon, que deixou 39 mortos.

RC/rtr/ap/dpa

Leia mais