Expedição busca restos mortais do aventureiro Amundsen | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 24.08.2009
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Expedição busca restos mortais do aventureiro Amundsen

Dois navios vão percorrer a região onde supõe-se que seu avião tenha desaparecido em 1928. Amundsen foi o primeiro a chegar ao Pólo Sul em 1911, à frente do inglês Robert F. Scott, numa corrida épica.

default

Noruegês Roald Amundsen: herói nacional

Uma expedição norueguesa parte nesta segunda-feira (24/08) em busca de pistas de um dos heróis da nação: Roald Amundsen, primeiro homem a chegar ao Pólo Sul do planeta.

Dois navios, um da Guarda Costeira e outro da Marinha, deixam a cidade de Tromso em direção ao suposto local onde o avião de Amundsen teria desaparecido em 1928. A busca vai se concentrar numa situada região a 20 milhas náuticas a nordeste da Ilha do Urso, a mais ao sul do arquipélago de Svalbard.

O desaparecimento

Roald Amundsen foi um famoso explorador do mundo gelado: em 1911, liderou uma expedição ao Pólo Sul, chegando à frente do inglês Robert F. Scott, numa corrida épica.

Luftschiff Norge

Um dos dirigíveis de Umberto Nobile sobrevoa o Pólo Norte

Em 1928, se engajou na busca pelo dirigível Italia e pelo engenheiro italiano Umberto Nobile, que projetara e também pilotava a aeronave. O avião em que Amundsen e a equipe de tripulantes franceses voavam sumiu na rota entre Tromso e Spitzbergen: nenhum rastro de Amundsen, da aeronave ou do restante da tripulação jamais foi encontrado.

Umberto Nobile foi resgatado mais tarde com vida, assim como outros nove membros de sua equipe, num bloco de gelo no arquipélago de Svalbard.

As buscas

A embarcação KNM Tyr, da Marinha norueguesa, é equipada com sonares modernos e um veículo submarino autônomo capaz de fazer buscas no solo marinho. Se for encontrado material curioso ao vasculhar a área submersa, a Marinha poderá então enviar outro veículo submarino, controlado remotamente, para analisar visualmente o local.

“É muita água para procurar, mas definimos uma área de busca. Se o motor estiver lá, então as chances são muito boas”, comentou o capitão do KNM Tyr, Tom Torgrimsen. As buscas seguirão até 4 de setembro, sendo que as datas foram selecionadas a partir de estudos estatísticos que apontam as condições meteorológicas mais estáveis nesta época do ano.

NP/dpa

Revisão: Rodrigo Rimon

Leia mais