Executados talibãs acusados de atentado em Cabul | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 08.05.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Executados talibãs acusados de atentado em Cabul

Os seis homens estavam presos pelo ataque que matou 64 em 19 de abril. Talibã protesta, comparando condições nas prisões afegãs a "atos dos alemães nazistas". Execução é a primeira no mandato do presidente Ghani.

Seis talibãs foram enforcados pela manhã no presídio de Pul-e-Charkhi

Seis talibãs foram enforcados pela manhã no presídio de Pul-e-Charkhi

O governo do Afeganistão mandou executar seis acusados pelo atentado a bomba e a tiros que matou 64 pessoas e feriu 347 em 19 de abril último, em Cabul. Os militantes do talibã foram enforcados durante a manhã deste domingo (08/05), no presídio de Pul-e-Charkhi, a leste da capital, onde estavam encarcerados.

Segundo fontes presidenciais, tratava-se de "criminosos perigosos", culpados por "delitos contra civis e a segurança pública. Logo após o atentado terrorista mais sangrento dos últimos anos, o presidente afegão, Ashraf Ghani, prometeu retaliação e autorizou a execução, as primeiras no país desde sua posse, em 21 de setembro de 2014.

O movimento fundamentalista islâmico Talibã reagiu aos enforcamentos com um e-mail criticando o mau tratamento dos presos de Pul-e-Charkhi, comparando as ocorrências nos presídios do Afeganistão aos "atos dos alemães nazistas". No entanto, prosseguiram os islamistas, o fato não enfraquecerá sua resistência.

Não há dados sobre o número de internos nas prisões do país. Embora todos os anos muitos presos sejam sentenciados à morte, na prática a pena só é aplicada esporadicamente.

AV/ap/afp/dpa

Assistir ao vídeo 01:22
Ao vivo agora
01:22 min

Veja imagens do atentado em Cabul

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados