Ex-membros da RAF são suspeitos de mais assaltos | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 07.06.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Ex-membros da RAF são suspeitos de mais assaltos

Além de investidas contra carros-fortes reveladas no início do ano, trio teria participado de recentes ataques a supermercados. Grupo terrorista alemão anunciou fim em 1998, e antigos membros vivem na clandestinidade.

Ernst-Volker Staub, Daniela Klette e Burkhard Garweg em foto divulgada por investigadores, sem data

Ernst-Volker Staub, Daniela Klette e Burkhard Garweg em foto divulgada por investigadores, sem data

Três integrantes do antigo grupo terrorista alemão Facção do Exército Vermelho (RAF) são suspeitos de envolvimento em pelo menos oito assaltos realizados nos estados alemães da Baixa Saxônia e de Schleswig-Holstein desde 2011, afirmou a promotoria pública da cidade de Verden nesta terça-feira (07/06).

O grupo vive na clandestinidade desde a dissolução da RAF, em 1998, depois de décadas de violência contra representantes da elite política e econômica da Alemanha. Os três integrantes foram identificados como Ernst-Volker Staub, de 61 anos, Burkhard Garweg, de 47, e Daniela Klette, de 57 anos.

No início do ano, a polícia já havia feito ligações entre os três fugitivos a assaltos e tentativas de assalto a carros-fortes, e ao ataque a uma prisão nas proximidades de Frankfurt. As autoridades acreditam agora que a lista de crimes realizados pelos suspeitos seja maior do que se pensava.

A promotoria de Verden acredita que esses sejam Garweg (esq.) e Staub atualmente

A promotoria de Verden acredita que esses sejam Garweg (esq.) e Staub atualmente

"As investigações mostram que os suspeitos dos ataques a carros-fortes poderiam também ter realizado seis assaltos em caixas de supermercados", informou a promotoria. "Acredita-se que os criminosos estejam com pouco dinheiro, então, novos assaltos não podem ser descartados."

Segundo as autoridades, os fugitivos roubaram entre 46 mil e 100 mil euros em apenas dois assaltos. Na tentativa mais recente, porém, realizada em 7 de maio deste ano, eles escaparam somente com a arma de um guarda em mãos, sem nenhum dinheiro.

"Nos assaltos, eles usam pistolas e, às vezes, armas de choque para ameaçar funcionários de supermercados ou de carros-fortes", disse a promotoria. "O comportamento é calmo, educado e sóbrio", afirmou, acrescentando que os suspeitos salientam às vítimas que "querem apenas dinheiro".

"Modus operandi" semelhante

A polícia afirmou que chegou aos suspeitos ao fazer uma conexão entre vários assaltos na Baixa Saxônia e em Schleswig-Holstein ao longo dos últimos cinco anos, levando em conta um modus operandi semelhante nos crimes.

Acredita-se que Staub, Garweg e Klette estejam escondidos na Alemanha ou em algum país vizinho. Oficiais de segurança recentemente rastrearam uma ligação telefônica feita a um vendedor de carros usados na Holanda que se suspeita ter sido feita por um dos fugitivos.

Os três fazem parte da terceira e última geração da RAF, grupo responsável por uma série de atentados fatais contra representantes da elite econômica e política alemã. O caso mais famoso é o sequestro e assassinato do empresário Hanns-Martin Schleyer, em 1977.

A RAF, também conhecida como Grupo Baader-Meinhof, surgiu a partir dos movimentos estudantis de esquerda do final dos anos 1960, que criticavam o establishment e a guerra no Vietnã. Em mais de duas décadas de atividades, a Facção matou 34 pessoas.

EK/afp/dpa

Leia mais