1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Ex-ditador Mubarak é absolvido por mortes em protestos de 2011

Tribunal penal retira acusações de cumplicidade nos assassinatos de manifestantes durante revolução que destituiu o líder egípcio. Além disso, ele respondia por casos de corrupção e enriquecimento ilícito.

default

Mubarak acena a apoiadores antes de voltar a hospital militar depois do veredicto

Passados quase três anos da morte de centenas de manifestantes durante a revolução que derrubou o então governante egípcio, Hosni Mubarak, o Tribunal Penal do Cairo retirou neste sábado (29/11) as acusações contra o ex-ditador. O ex-presidente do Egito chegou de helicóptero ao tribunal para ouvir a sentença no novo julgamento. Também o então ministro do Interior, Habib al-Adli, assim como os filhos de Mubarak, Gamal e Alaa, e outros três responsáveis pelas mortes foram absolvidos. Após o veredicto, aplausos e comemorações eclodiram no tribunal.

No início de 2011, eles foram acusados de terem ordenado o assassinato de 800 manifestantes. Durante o levante que destituiu Mubarak do poder – ele governou o Egito por 30 anos – forças de segurança atacaram os manifestantes. Além disso, o ex-ditador era acusado de corrupção, desvio de dinheiro público e enriquecimento ilícito com exportações de petróleo para Israel. Ele também foi absolvido dessas alegações.

Num primeiro processo sob as mesmas acusações, Mubarak foi sentenciado a

prisão perpétua

, em 2012. Porém, por razões técnicas, a sentença foi posteriormente anulada e o caso posto a novo julgamento.

Em maio deste ano, o ex-presidente havia sido condenado a três anos de prisão por um outro caso de corrupção – pena que ele está cumprindo. Mubarak, de 86 anos de idade e com a condição de saúde frágil, está detido em um hospital militar no Cairo.

PV/lusa/afp/dpa/rtr

Leia mais