1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Evento antixenofobia reúne 22 mil em Dresden

Concerto musical gratuito atrai multidão para mostrar que a capital da Saxônia é cosmopolita, tolerante e diversificada. No restante da Alemanha, manifestações contrárias ao Pegida perdem fôlego.

Tantas pessoas se reuniram nesta segunda-feira (26/01) em frente à igreja Frauenkirche, de Dresden, para um concerto de promoção da tolerância e da diversidade, que a praça precisou ser fechada. Segundo a polícia local, aproximadamente 22 mil pessoas assistiram aos shows no centro da capital da Saxônia.

O evento – "Aberto e colorido – Dresden para todos" – foi criado para combater a imagem de Dresden como a cidade do Pegida (sigla em alemão para "Europeus patriotas contra a islamização do Ocidente). A organização anti-islã tem realizado marchas semanais desde outubro de 2014 para protestar contra uma suposta crescente influência do islã na Alemanha e contra as políticas de imigração do governo alemão.

A escolha por realizar o evento numa segunda-feira à noite foi estratégica: o Pegida normalmente realiza suas manifestações nas segundas, mas teve que antecipá-la para domingo devido ao concerto.

"Queremos mostrar que Dresden é cosmopolita, tolerante e diversificada, e nós nos esforçamos para que seja calorosa, principalmente em nossos corações", disse Gerhard Ehninger, membro da associação "Dresden – Place to be", que desde 2014 se engaja por trabalhadores e estudantes estrangeiros.

A maioria dos artistas compartilhou mensagens de tolerância e compromisso com os estrangeiros, ao invés de criticar o movimento Pegida. Exceto a banda Yellow Umbrella, que não se conteve após tocar sua música "No Pegida".

"É difícil ter uma conversa com o Pegida. As pessoas dizem: 'O mundo é redondo.' Mas os membros do Pegida então dizem: 'Mas não de acordo com a minha opinião'", disse o líder do grupo.

Os organizadores do evento esperavam quebrar o recorde de participantes da marcha do Pegida de 10 de janeiro, que levou aproximadamente 35 mil pessoas às ruas de Dresden. No concerto gratuito, financiado pela cidade de Dresden, se apresentaram alguns dos artistas mais respeitados na Alemanha. Entre eles, Herbert Grönemeyer, conhecido pelo papel de protagonista do épico de guerra de Wolfgang Petersen "O barco – Inferno no mar", de 1981.

Manifestações contrárias perdem fôlego

Depois de, uma semana atrás, mais de 50 mil pessoas protestarem contra o Pegida na Alemanha, esta segunda-feira reuniu significativamente menos pessoas. Em Düsseldorf e em Karlsruhe, segundo dados das polícias locais, havia cerca de mil nas ruas. Em Munique foram 2.200, em Berlim saíram 1.100, em Braunschweig, 2.500, e em Magdeburg aproximadamente 2.200 manifestantes protestaram contra o Pegida.

O maior fluxo foi registrado em Frankfurt, onde vivem pessoas de 170 nações e 200 línguas diferentes são faladas. Em dois eventos distintos, aproximadamente 17 mil pessoas protestaram contra o Pegida. Ainda segundo a polícia local, houve pequenos tumultos e casos isolados de agressões físicas.

Por outro lado, o número de participantes de manifestações pró-Pegida continua baixo fora de Dresden. Se na capital da Saxônia, o movimento reuniu 17.500 pessoas no domingo, o maior número registrado nesta segunda foi de 1.100 participantes, em Munique.

PV/dpa/afp/epd

Leia mais