1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Europeus vêem novas chances para a paz

Coordenador da UE para política exterior encontra-se em Ramallah com premiê Kureia. Ministro alemão Joschka Fischer apela a Israel para que vincule retirada da Faixa de Gaza com plano internacional de paz Road Map.

default

Solana visitou Kureia em Ramallah

A morte do líder palestino Yasser Arafat deve ser aproveitada como oportunidade para a retomada do processo de paz no Oriente Médio. Esta a tônica dos representantes da política de Relações Exteriores da União Européia (UE), um dia após o enterro do presidente da Autoridade Palestina, Yasser Arafat. O responsável alemão pela pasta, Joschka Fischer, conclamou Israel a vincular a retirada da Faixa de Gaza à reativação do plano internacional Road Map, elaborado em conjunto pela União Européia, Nações Unidas, Rússia e Estados Unidos.

O político verde destacou que a desocupação das colônias israelenses na Faixa de Gaza oferece a chance de "embarcar num novo processo político". Israel tem de coordenar suas negociações com o lado palestino e a comunidade internacional, salientou. Somente nestas condições, a Alemanha estaria disposta a apoiar o processo de paz ao lado da UE, salientou Fischer.

"Sem diálogo, não haverá paz duradoura"

Das Grab von Yasser Arafat mit Blumen in Ramallah

Num gesto que demonstra a importância concedida pela União Européia à questão, o coordenador de política exterior e de segurança, Javier Solana, esteve em Ramallah neste sábado (13/11). No encontro com o primeiro-ministro da Autoridade Palestina, Ahmed Kurei, salientou o valor do diálogo para uma paz duradoura. Solana apelou a Israel pelo fim da construção de barreiras, muros e novas colônias em territórios palestinos.

O chefe da diplomacia do bloco europeu elogiou os palestinos, que "agiram de forma responsável após a morte de seu líder histórico Arafat e nomearam imediatamente um líder de transição". Rauhi Fatuh, presidente do parlamento, é o presidente interino da Autoridade Palestina. "Agora, no entanto, têm de preparar eleições presidenciais imediatamente. Ao mesmo tempo, precisam encaminhar reformas nas áreas da economia, segurança e administração, para diminuir o sofrimento do povo e acabar com o terreno fértil dos terroristas", advertiu.

Ahmed Kurei anunciou eleições para a escolha do sucessor de Arafat em 60 dias, conforme as leis palestinas. Além disso, garantiu que nos três primeiros meses de 2005 será eleito um novo parlamento.

O embaixador israelense na Alemanha, Shimon Stein, espera um novo impulso para a coexistência pacífica de um Estado palestino independente ao lado de Israel. "Para isso, mediadores como o ministro alemão Joschka Fischer são muito bem-vindos", ressaltou o diplomata. Para ele, antes de qualquer coisa, é necessário que a liderança palestina tome providências para o fim do terror.

Powell prepara viagem ao Oriente Médio

Tony Blair bei George Bush in Washington

Bush recebeu Blair em Washington

No encontro com o premiê Tony Blair, em Washington, nesta sexta-feira, o presidente norte-americano, George W. Bush, havia dito que vê chances para a criação de um Estado palestino em quatro anos e anunciou ser este seu objetivo "em estreita cooperação com a Europa". Para isso, anunciou uma viagem ao velho Mundo para janeiro próximo. Por seu lado, secretário de Estado, Colin Powell, está programando sua primeira viagem ao Oriente Médio em dois anos e meio. Na próxima segunda-feira, ele recebe em Washington o ministro israelense do Exterior, Silvan Shalom.

Os europeus estão preparados para o prosseguimento das negociações de paz no Oriente Médio, assegurou o ministro Fischer, que reagiu de maneira contida às declarações de Bush: "Ainda é cedo para analisar a futura política de Bush em relação ao Oriente Médio. Primeiro temos de conhecer sua nova equipe de relações exteriores".

O plano internacional de paz Road Map, que previa a criação de um Estado palestino em 2005, está emperrado desde o ano passado, quando Israel deixou a mesa de negociações. Já em 2002, os Estados Unidos haviam interrompido os contatos com Yasser Arafat, acusando-o de fracassar no combate ao terror. As negociações pela paz podem ser reativadas no próximo dia 22, no Egito, às margens de uma conferência sobre o Iraque.

Leia mais