Europeus assumem comando de tropas no Afeganistão | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 09.08.2004
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Europeus assumem comando de tropas no Afeganistão

Tropas multinacionais de elite da Otan assumem o comando das forças de segurança da ONU no Afeganistão. O maior desafio será garantir a segurança durante as eleições presidenciais no país em outubro próximo.

default

Soldados da Eurocorps embarcam rumo ao Afeganistão

"Estamos muito bem preparados", afirma o general francês Jean-Louis Py, que passa a coordenar, pelos próximos seis meses, sete mil soldados de 33 países, que formam a Isaf (Força Internacional de Segurança das Nações Unidas), responsável por manter a segurança no Afeganistão. É a primeira vez que as tropas Eurocorps saem dos domínios da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) para atuar em outras regiões.

Nervosismo – "Nossa principal tarefa é a segurança das eleições presidenciais em nove de outubro próximo", afirma Hans Haegdosens, porta-voz da Eurocorps, da qual fazem parte soldados da Alemanha, França, Bélgica, Espanha e Luxemburgo, sob coordenação teuto-francesa.

O novo comando espera um aumento sensível da tensão no país durante as eleições. Para a ocasião, a Otan aprovou uma ampliação temporária das tropas de elite, que deverão contar com até dez mil soldados. "A situação está, no momento, relativamente tranqüila, mas isso pode mudar a qualquer momento, pois as pessoas estão nervosas por causa das eleições. Nós continuamos atentos a possíveis atentados", afirma o comandante francês Py.

As preparações para o envio das tropas de elite ao Afeganistão começaram já em fevereiro último. Por duas semanas, os soldados participaram de um treinamento especial na Noruega, durante o qual foram simulados conflitos armados. "Quando, por exemplo, recebe-se uma mensagem de que uma de nossas patrulhas está sendo atacada, todo segundo conta. A meta desses exercícios foi otimizar a eficiência da nossa estrutura de comando. Temos que reagir rapidamente a qualquer tipo de situação", comenta Haegdosens.

Der kommandierende General des Eurokorps Py, ISAF

General francês Jean-Louis Py, comandante da Eurocorps

Transição gradual – A transição do comando não será tampouco instantânea. "A mudança deve perdurar até fins de agosto. A demora se dá porque temos que trocar muitas informações, inclusive no que diz respeito ao tráfego áereo, praticamente ininterrupto. Também, como não podemos começar a atuar sem estarmos preparados, vamos entrando no palco passo a passo", analisa Py.

O novo comando das tropas da Isaf tem ainda como objetivo ampliar a zona de proteção para além das fronteiras de Cabul e Cunduz. O objetivo inicial das tropas foi garantir a estabilidade política no país sob o governo de transição. A tarefa vem sendo desempenhada nas regiões de Cabul e Cunduz, enquanto o resto do país continua nas mãos dos chamados warlords.

Várias organizações de ajuda humanitária que atuam no Afeganistão apontam a necessidade de uma participação ainda maior das forças estrangeiras. "Queremos que a ONU conceda mais poder e autonomia às forças estacionadas no Afeganistão", diz Christina Heitmann, porta-voz da organização alemã Care. "Para melhorar a segurança, é necessário que as tropas da Isaf participem mais, entre outras coisas, do desarmamento das milícias e policiem e protejam mais as estradas do país", conclui Heitmann.

Leia mais