1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Europa celebra 400 anos de Rembrandt

Em 1606, nascia na Holanda o futuro mestre do claro-escuro. Instituições culturais européias celebram de mil formas este gênio barroco das artes plásticas.

default

Gravura de Rembrandt

Desde Leiden, a cidade natal, até Amsterdã, onde Rembrandt Harmenszoon van Rjin (1606-1669) viveu seus últimos anos, passando por Haia, Barcelona, Frankfurt, Berlim, Kassel e Londres, numerosas cidades européias festejam os 400 anos de nascimento do artista holandês, transcorridos em 15 de julho último.

A National Gallery de Londres celebra o evento exibindo os quadros do pintor em seu acervo e complementando-os com obras de seus discípulos. A cidade de Kassel (palco da mostra de arte contemporânea Documenta) também mostra diferentes aspectos da personalidade e da obra do homenageado, incluindo suas paisagens e as 34 telas da pinacoteca do Castelo Wilhelmshöhe.

Trilogia berlinense

Rembrandt Ausstellung in Berlin Gemäldegalerie

Abertura da mostra Rembrandt na Gemäldegalerie de Berlim

Os museus estatais de Berlim marcam o quadricentenário com uma trilogia de exposições.

De 4 de agosto a 5 de novembro de 2006, o Kulturforum da Praça de Potsdam dedica seu espaço às pinturas, desenhos e gravuras em grande formato. A Gemäldegalerie apresenta a maior mostra do artista holandês deste ano: Rembrandt, gênio à procura , com cerca de 80 quadros de todo o mundo.

Em Rembrandt, um virtuose da gravura , o Kupferstichkabinett abre seus acervos para enfocar as gravuras em cobre do artista. Os museus prometem acompanhar as exposições com católogos fartamente ilustrados e análises científicas profundas.

Um ponto alto da programação paralela em Berlim é o simpósio com especialistas internacionais, em 4 e 5 de novembro, que incluirá a apresentação dos resultados parciais do Rembrandt Research Project, dedicado a separar o joio do trigo na obra deste pintor, um favorito dos falsificadores.

A cara da mãe

Rembrandt realizou quase cem auto-retratos ao longo de sua carreira, assim como descrições da vida dos ricos e dos pobres ao seu redor. Um outro motivo pictórico freqüente é a sua mãe: nenhum outro artista do século 17 dedicou tantos quadros à progenitora.

Rembrandt Jahr in den Niederlanden

'Mulher sentada', no Museu De Lakenhal

O mais famoso dentre eles é Velha lendo , que mostra uma mulher de cara redonda e nariz largo, inclinada sobre o que parece ser uma Bíblia em hebraico. O Museu De Lakenhal, de Leiden, abriu o jubileu do pintor com a exposição A mãe de Rembrandt – Mito e realidade .

Aqui o espectador se transformava em detetive: com a ajuda de originais, falsificações, retratos, esboços e material de arquivo, podia-se armar um quadro da venerável modelo de Rembrandt e compará-lo com as descrições que chegaram a nós.

"Rembrandt não era pintor"

Como não poderia deixar de ser, o Rijksmuseum de Amsterdã ostenta uma programação intensa até o fim do ano. Juntamente com todas as pinturas e desenhos rembrandtianos em seu poder e uma mostra comparativa Rembrandt-Caravaggio, a instituição dedica toda uma exposição apenas às falsificações do mestre.

Rembrandt Jahr in den Niederlanden Die Nachtwache

'A vigília noturna'

Porém nem tudo são telas, tintas e papéis: o programa inclui até mesmo uma instalação teatral do famoso cineasta britânico Peter Greenaway, Nightwatching . Como declarou o diretor de O livro de cabeceira (1996) em entrevista recente ao jornal Die Zeit : "Rembrandt não era pintor", mas sim deveria ter se tornado diretor de teatro.

Para Greenaway – que também é artista plástico –, o famoso A vigília noturna não é uma pintura, mas sim "uma peça teatral, uma representação loucamente viva". Através de som e vídeo, o diretor revela essa dimensão, convidando o público a participar de uma conspiração de morte.

Nos passos do mestre

400. Geburtstag Rembrandts - Zimmer von Rembrandt

Residência restaurada de Rembrandt em Amsterdã

O ano do aniversário coincide com a estréia de dois musicais em Amsterdã: um sobre a acidentada vida amorosa e outro sobre o espírito criador do mestre do claro-escuro.

A capital holandesa organiza ainda uma série de excursões a pé pelas estações da vida de Rembrandt, atravessando os numerosos canais da cidade e outros locais favoritos.

Para os fãs inveterados do pintor barroco, o melhor é reservar logo um dos vários pacotes turísticos oferecidos na internet, por exemplo: quatro dias de Rembrandt, saindo de Haia de ônibus e com visitas guiadas por Leiden e Amsterdã.

Leia mais

  • Data 04.08.2006
  • Autoria (av)
  • Imprimir Imprimir a página
  • Link permanente http://p.dw.com/p/8u0W
  • Data 04.08.2006
  • Autoria (av)
  • Imprimir Imprimir a página
  • Link permanente http://p.dw.com/p/8u0W