Euro 2016 será dos novatos | Leia as principais notícias sobre o futebol internacional | DW | 15.10.2015
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Futebol

Euro 2016 será dos novatos

Albânia, Islândia, Irlanda do Norte, País de Gales e Eslováquia vão participar pela primeira vez do torneio, que terá 24 em vez de 16 seleções. Holanda fica de fora.

default

Jogadores da Islândia festejam a primeira classificação

A Eurocopa de 2016 terá um recorde de seleções novatas. Cinco países sem muita tradição no futebol festejaram a classificação para o torneio na França. Uma delas é a Eslováquia, que, após cinco tentativas frustradas, finalmente conseguiu uma vaga.

Outra surpresa foi a classificação do País de Gales. O feito da equipe em torno do astro Gareth Bale tirou até o mundial de rugby das manchetes dos jornais do país.

Na Albânia, a classificação para a copa das nações europeias rendeu a máxima ordem nacional aos jogadores da seleção, entregue pelo próprio presidente do país.

O azarão Irlanda do Norte também conseguiu se classificar para sua primeira Euro. O maior milagre, porém, foi alcançado pela Islândia, na sua 24ª tentativa de participar do torneio, com direito a vitória sobre a Holanda, que ficou de fora.

Pela primeira vez em 30 anos, a Laranja Mecânica não participará da Eurocopa. E a eliminação foi merecida, pois quem não consegue ganhar das três principais equipes do grupo não deve se admirar de um fracasso.

Fußball EM-Qualifikation Niederlande - Tschechien

Holanda fica de fora pela primeira vez em 30 anos

"Torneio diluído"

O diretor esportivo da seleção alemã, Oliver Bierhoff, lamenta a participação de tantas equipes estreantes na Eurocopa de 2016. "O torneio fica um pouco diluído", avalia.

Bierhoff compara o aumento no número de seleções – de 16 para 24 – com a fase de grupos da Liga dos Campeões, que ele disse não considerar muito interessante, alegando que o campeonato só fica emocionante mesmo no mata-mata. "Com a Eurocopa será a mesma coisa", prevê Bierhoff.

Para a Uefa, o que interessa é o faturamento, já que uma Euro com 24 seleções gera mais receita por haver torcedores de mais seleções interessados nos jogos. Além disso, as recém-criadas oitavas de final garantem oito jogos adicionais de nervos à flor da pele. Diante disso, tanto faz se uma ou outra partida da fase inicial não for lá tão emocionante.

Outra mudança é que o anfitrião pode escolher mais cidades para sediar os jogos do torneio. Na França serão dez, o que só havia ocorrido em 2004, na edição de Portugal.

Para as grandes seleções, como Alemanha, Itália, Inglaterra e França, há um risco adicional com a presença de tantos "anões": o dos vexames. Basta lembrar a recente derrota da equipe alemã para a Irlanda, por 1 a 0.

Mas, ao menos em tese, o caminho até as quartas de final fica mais fácil. A não ser que a Uefa resolva levar adiante outra ideia que circula dentro da federação: convidar Brasil e Argentina para participar da Eurocopa.

Leia mais