1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

EUA rejeitam solução de Assad para conflito na Síria

Proposta do presidente está "desligada da realidade" e teria como único resultado continuar a sangrenta repressão ao povo sírio, afirma o governo norte-americano.

Os Estados Unidos rejeitaram a solução política para a guerra civil síria apresentada pelo presidente Bashar al-Assad neste domingo (06/01). Para a porta-voz da diplomacia norte-americana, Victoria Nuland, os planos de Assad estão "desligados da realidade" e permitiriam que o regime prosseguisse com a repressão aos oposicionistas.

Nuland afirma que o discurso de Assad "é mais uma tentativa do regime para se agarrar ao poder e não faz nada para alcançar o objetivo do povo sírio, que quer uma transição política". Segundo ela, Assad perdeu a legitimidade e deve renunciar. Só assim seria possível a transição para um governo democrático.

No discurso deste domingo, Assad apresentou um plano para acabar com o conflito no país, incluindo reformas políticas, mas disse que só o colocará em prática quando acabar a "conspiração internacional" que financia os "terroristas". Caso contrário, só resta a resposta militar. "Dialogaremos com quem tiver princípios de patriotismo e não quiser vender o país aos inimigos", declarou o presidente sírio.

Ainda de acordo com Nuland, a iniciativa de Assad mina os esforços do enviado especial da ONU e da Liga Árabe para a Síria, Lakhdar Brahimi, que os EUA continuarão a apoiar. Para alcançar a paz, Brahimi vem buscando o consenso dos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU, assim como a aprovação da Liga Árabe da Assembleia Geral da ONU.

Assad está no governo há mais de 12 anos. A guerra civil começou em março de 2011 e já causou a morte de mais de 60 mil pessoas, pelos cálculos da ONU.

MC/lusa/rtr/ap
Revisão: Luisa Frey / Alexandre Schossler

Leia mais