1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

EUA reforçam segurança na Alemanha devido a ameaça de terrorismo

Extremistas iraquianos teriam feito reconhecimentos em instalações norte-americanas no Sul da Alemanha. Procuradoria apura 200 casos envolvendo terrorismo. Ministro do Interior ganha munição para nova lei antiterror.

default

Polícia alemã protege a embaixada dos EUA em Berlim

A embaixada dos Estados Unidos em Berlim está reforçando seu esquema de segurança em reação a ameaças de ataques terroristas, que extremistas iraquianos supostamente estariam planejando executar na Alemanha.

"As instalações diplomáticas e consulares dos EUA na Alemanha estão reforçando sua postura em relação à segurança. A embaixada dos EUA orienta os norte-americanos na Alemanha a reforçar sua vigilância e tomar as medidas apropriadas para aumentar sua segurança pessoal", informa uma nota divulgada pela embaixada nesta sexta-feira (20/04) em Berlim

As autoridades em Berlim e Washington não revelaram detalhes sobre as ameaças, mas dois jornais alemães informaram que militantes iraquianos teriam feito nos últimos dias reconhecimentos em bases militares norte-americanas na Alemanha.

Um porta-voz da Secretaria de Segurança de Hessen disse neste sábado à agência de notícias DPA que o alerta partiu de "indícios abstratos" obtidos de ligações telefônicas e e-mails. "Trata-se de uma ameaça com dimensão islâmica", informou o Ministério do Interior, em Berlim.

CIA e BKA cooperam

Segundo o Ministério do Interior alemão, o reforço na segurança se deve a sinais detectados pelo Departamento Federal de Investigações Criminais (BKA) de que instalações dos EUA possam estar em risco. "As autoridades de segurança alemãs vêm trabalhando junto com os EUA para garantir que as medidas adequadas sejam tomadas", informou Berlim.

O ministro do Interior, Wolfgang Schäuble, disse esta semana ao jornal Tagesspiegel que a ameaça de ataques terroristas tornou-se "mais forte e mais específica nos últimos meses". Segundo o diário, a CIA teria alertado para o fato de integrantes do grupo extremista iraquiando Ansar al Sunna, ter feito reconhecimentos de instalações norte-americanas no sul da Alemanha.

Já o jornal Die Welt informou que os serviços de inteligência alemão e norte-americano receberam informações sobre possíveis ataques terroristas na Alemanha. Três membros do Ansar al Sunna, acusados de planejar assassinar o ex-premiê iraquiano, Ilyad Allawi, quando este veio à Alemanha em 2004, estão sendo julgados em Stuttgart.

Segundo a revista Der Spiegel , autoridades de segurança alemãs estão apurando informações da CIA, segundo as quais um grupo islâmico curdo ligado à Jihad Islâmica estaria planejando um ataque à Alemanha ou a um país vizinho.

Tropas no Afeganistão

Ao contrário do que aconteceu no Reino Unido e na Espanha, a Alemanha até agora tem sido poupada pelos terroristas. Militantes do Taliban, porém, já ameaçaram realizar ataques suicidas no país para exibir a retirada dos soldados do Afeganistão, onde os alemães fornecem o maior contingente para a missão da Otan.

A saída das tropas alemãs também é exigida por militantes iraquianos, que em fevereiro passado seqüestraram dois alemães. Em julho de 2006, uma tentativa de ataque contra trens alemães fracassou devido ao mau funcionamento das bombas. Um dos acusados está sendo julgado em Bagdá.

Munição para Schäuble

Deutschland Polizei Antiterrordatei freigeschaltet Wolfgang Schäuble

Schäuble ganha munição para proposta de lei antiterror mais rigorosa

O vice-líder da bancada da coligação CDU/CSU no Bundestag (câmara baixa do Parlamento alemão), Wolfang Bosbach, disse neste sábado que a advertência da embaixada dos EUA fortalece a posição de Schäuble na briga para adotar leis antiterror mais rigorosas.

"Esta medida [dos EUA] mostra quão preocupante é a situação de ameaça e justifica o pedido do ministro do Interior de aumentar os esforços de segurança e fechar as lacunas na lei", disse. Segundo Bosbach, a Procuradoria Geral da República atualmente apura 200 casos com fundo terrorista.

"Não só os pilotos do 11 de setembro de 2001 viveram entre nós. Sabemos também de outros ataques em que foram encontrados rastros na Alemanha", acrescentou. "É tarefa do ministro do Interior adaptar o quadro jurídico às novas ameaças, afirmou.

Leia mais