EUA manterão 8.400 soldados no Afeganistão | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 06.07.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

EUA manterão 8.400 soldados no Afeganistão

Obama revisa plano anterior, que previa presença de 5.500 militares americanos, e argumenta que segurança no país ainda é precária e tropas afegãs não são fortes o suficiente.

O presidente dos Estado Unidos, Barack Obama, anunciou nesta quarta-feira (06/07) que manterá 8.400 soldados americanos no Afeganistão até o fim de seu mandato, em vez dos 5.500 anteriormente previstos.

Após uma revisão dos planos, comandantes militares recomendaram que fosse mantindo um número maior. Obama afirmou que a segurança no Afeganistão continua "precária" e que as forças afegãs não são tão fortes quanto deveriam ser.

Em comunicado à imprensa na Casa Branca, o presidente disse que o papel das forças americanas no Afeganistão continuará sendo o de treinar e aconselhar a polícia e os soldados afegãos, além de dar apoio a missões antiterrorismo contra o Talibã e outros grupos.

Obama declarou ainda que a medida deve enviar ao Talibã a mensagem de que o grupo não pode triunfar e que os Estados Unidos e a comunidade internacional manterão seu comprometimento com o governo afegão.

O presidente já havia diminuído o ritmo da retirada das tropas americanas do Afeganistão em 2015, mesmo após a conclusão formal das operações de combate no Afeganistão.

"Se eles [as tropas afegãs] falharem, isso colocará em risco a segurança de todos nós", disse Obama na ocasião. "Eu não vou permitir que o Afeganistão seja usado como refúgio seguro para terroristas atacarem nossa nação novamente."

LPF/rtr/ap/dpa

Leia mais